São Paulo, 28 de maio de 2024

Apoio:

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio

13/04/2024

Indústria prevê aumento contínuo na produção de veículos

(14/04/2024) – “O crescimento consistente das vendas desde a metade do ano passado vem aos poucos puxando para cima o ritmo da produção de autoveículos no Brasil, apesar da baixa nas exportações”. Esta é a avaliação da Anfavea – Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores ao apresentar o balanço do primeiro trimestre da indústria automobilística, na semana passada.

Nesse sentido, o presidente da Anfavea, Márcio de Lima Leite, adiantou que a primeira semana de abril foi a melhor primeira semana de abril desde o 2014, o que, na opinião do executivo, “mostra uma tendência de que o mercado vem realmente com crescimento”.

Segundo a entidade, a produção de 195,8 mil veículos em março foi a melhor em quatro meses e superou em 3,2% o volume de fevereiro. No acumulado do trimestre, 538 mil unidades deixaram as linhas de montagem, 0,4% a mais que no mesmo período do ano passado. “Acreditamos que os próximos meses serão marcados por aumento contínuo na produção, por isso apostamos muito na nossa previsão de alta de 6% para o ano”, explicou Márcio de Lima Leite, presidente da Anfavea.

Nas vendas internas, o indicador mais revelador do aquecimento é o da média diária de emplacamentos, que dilui o efeito da quantidade de dias  úteis em cada período. A média de 9,4 mil unidades em março cresceu 7,9% em relação a fevereiro e 8,5% sobre março de 2023. No ano, a média diária de emplacamentos já é 12,6% superior à do primeiro trimestre de 2023.

O total de vendas em março foi de 187,7 mil unidades, mês com 3 dias úteis a menos que março do ano passado. Na comparação com fevereiro, houve acréscimo de 13,6%. O volume acumulado no trimestre é de 515 mil autoveículos, 9,1% a mais que no ano passado. A exportação acumulada se manteve 28% abaixo na comparação com 2023, embora os embarques de março tenham sido os maiores em sete meses, com elevação de  6,5% sobre fevereiro.

Na coletiva de imprensa, Leite comemorou também a assinatura do decreto do Programa Mover e os novos anúncios de investimentos do setor no Brasil. Segundo a entidade, com os novos aportes de fabricantes anunciados no último mês, o ciclo atual já supera R$ 123 bilhões de investimentos ativos desde 2021, sem contar os do restante da cadeia automotiva.

“Ficamos muito satisfeitos com a assinatura do decreto do Programa Mover no mês passado pelo governo federal. Foi o resultado de muitas sugestões nossas às autoridades competentes, e também da Academia e do setor de autopeças. Temos a certeza de que estamos diante de um programa que será referência para o mundo em termos de descarbonização, com a liberdade de escolha para os consumidores, que poderão optar pela rota tecnológica mais interessante às suas necessidades”, afirmou o executivo.

Usinagem Brasil © Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por:

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Privacidade.