São Paulo, 22 de junho de 2024

Apoio:

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio

30/03/2024

Máquinas: mercado interno registra alta nas vendas

(31/03/2024) – A receita líquida interna do setor de máquinas e equipamentos registrou alta significativa em fevereiro na comparação com o mês anterior, de 33,9%. Na comparação com o mesmo mês de 2023, porém, o resultado ficou 9% abaixo.

De acordo com a Abimaq, que divulgou os dados do setor na semana passada, “ainda que a receita líquida tenha melhorado em relação ao mês de janeiro, se manteve abaixo do resultado de fevereiro de 2023. Os números observados no primeiro bimestre do ano indicam que o baixo dinamismo da atividade industrial, continuam impactando negativamente investimentos produtivos de alguns segmentos”.

Segundo a entidade, as receitas de vendas de máquinas no mercado doméstico vêm registrando retração contínua desde o ano de 2022. Em 2022 a queda foi de 6,9%, em 2023 de 15,4%. Em 2024, o primeiro bimestre do ano registrou queda de 18% em relação ao mesmo período de 2023 que já tinha sido baixo. Com esse resultado, as receitas de vendas no mercado interno retornaram ao nível da crise fiscal de 2016– 2017.

As exportações também apresentaram impacto negativo no resultado das receitas. O mês de fevereiro de 2024 encerrou com um total de US$ 829 milhões em exportações de máquinas e equipamentos nacionais, resultado 21,4% menor que o de janeiro (US$ 1 bi). Em relação ao mês de fevereiro de 23 a queda foi de 23,2%.

As importações de máquinas e equipamentos também apresentaram queda de 7,2% em relação a janeiro e de 12,4% em comparação com fevereiro de 2023. Entre as principais origens das importações, China, EUA, Alemanha e Itália lideram o ranking.

Segundo a Abimaq, “a China voltou a registrar crescimento no mercado nacional em 2024 depois do leve recuo observado em 2023, e se mantém com folga como a principal origem das importações. A China foi responsável por cerca de 30% de todas as máquinas que entraram no Brasil”.

O consumo aparente, resultado da soma da aquisição de bens produzidos localmente com os importados, no mês fevereiro, registrou alta 13,3% em fevereiro a comparação com o mês anterior. Já na comparação com fevereiro de 2023 a queda é de 4,5%. Com isso, o setor de máquinas e equipamentos atingiu R$ 49,2 bilhões no primeiro bimestre, montante 10,9% menor que o do mesmo período de 2023.

Usinagem Brasil © Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por:

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Privacidade.