São Paulo, 20 de junho de 2024

Apoio:

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio

19/01/2024

Produção de caminhões e ônibus deve ter alta expressiva em 2024

(21/01/2024) – A produção de caminhões e ônibus no Brasil deve crescer 32,1% em 2024, segundo projeção feita pela Anfavea – Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores.

De acordo com a entidade, a expectativa é a de que o volume a ser produzido atinja a marca de 160 mil veículos – em 2023, a produção somou 121 mil unidades, sendo 100,5 mil caminhões e 20,6 mil ônibus, ficando 37,5% abaixo do registrado em 2022.

Para a Anfavea, a forte queda em 2023 pode ser creditada em grande parte ao aumento dos preços de caminhões e ônibus no ano passado, devido aos custos mais elevados das novas tecnologias de controle de emissões, adotadas para atender a etapa P8 do Proconve (Euro 6), em vigor desde janeiro de 2023.

Este fato fica evidente na diferença entre produção e vendas no ano passado. As vendas de caminhões, por exemplo, caíram “apenas” 14,7%, enquanto as de ônibus cresceram 17,7%, na comparação com o ano anterior. Esse “fenômeno” se explica pelo fato de que boa parte das vendas foi de produtos fabricados no ano anterior, portanto sem a tecnologia P-8 e mais baratos.

A Anfavea informou ainda que apenas 53% dos caminhões vendidos em 2023 foram produzidos em 2022 (normalmente são 77%); já no segmento de ônibus foram 44% (67%, em anos normais).

Este é um dos motivos que levam a entidade a apostar num aumento da produção, já que os estoques de caminhões e ônibus produzidos em 2022 foram praticamente zerados. Uma questão que pode impedir uma retomada mais rápida do setor são as taxas de juros, ainda altas, embora em tendência de queda, já que o financiamento responde por parte significativa das vendas.

Falando sobre o setor automotivo como um todo, incluindo os veículos leves, Márcio de Lima Leite, presidente da Anfavea, afirmou: “temos motivos para acreditar num ano positivo para o setor automotivo brasileiro”. Em sua avaliação, “além da expectativa de crescimento do mercado interno e da produção, devemos celebrar a publicação da MP 1.205 que instituiu o Programa Mover. Trata-se uma política industrial muito moderna e inteligente, que garante previsibilidade a toda a cadeia automotiva presente no país e a novas empresas que chegarem, e ainda privilegia as novas tecnologias de descarbonização, os investimentos em P&D e favorece a neoindustrialização”.

Apesar do otimismo, existe ainda expectativa sobre como vai se comportar o agronegócio em 2024, um dos principais consumidores de caminhões, para o qual as vendas ficaram abaixo das expectativas no ano passado. O mesmo vale para o setor de infraestrutura e as obras do PAC – Programa de Aceleração do Crescimento, que também poderia impactar positivamente o setor.

Usinagem Brasil © Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por:

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Privacidade.