São Paulo, 17 de julho de 2024

Apoio:

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio

24/01/2023

Paraná entra na disputa com a Bahia por investimentos da BYD

(24/01/2023) – Já não é tão certo que será a Bahia o endereço da nova fábrica da montadora chinesa BYD no Brasil – pelo menos, da fábrica “inteira” – como parecia até o final do ano passado.

O governo do Paraná entrou na disputa e está oferecendo à empresa o que não deixa de ser também, em tese, um grande negócio, o reaproveitamento de uma bem estruturada fábrica de motores de Campo Largo (PR), desativada em novembro de 2022 pela Stellantis, para abrigar as novas instalações da BYD, ou pelo menos a área de fabricação de controladores e motores elétricos.

Os paranaenses parecem bastante empenhados em que algo nesse sentido aconteça. O presidente da BYD no Brasil, Tyler Li, foi recebido por uma comitiva liderada pelo vice-governador Darci Piana (PSD) para visitar a fábrica e discutir aspectos técnicos dos possíveis investimentos.

A visita deixou o governo da Bahia de orelha em pé. Afinal, em outubro do ano passado, a BYD assinou um protocolo de intenções com o governo do estado para a compra da fábrica da Ford em Camaçari, desativada em 2021, e tudo parecia estar caminhando para um final feliz.

O documento entra no nível dos detalhes: dá conta de que a montadora pretende instalar em Camaçari três novas linhas de montagem de veículos elétricos, com investimento de R$ 3 bilhões e a geração de 1,2 mil empregos.

O governo baiano anunciou inclusive para o próximo mês de junho o possível início dos trabalhos da BYD na região metropolitana de Salvador. Com a entrada em cena dos paranaenses, e dependendo da decisão dos chineses, o estabelecimento desta data pode deixar de fazer sentido. Afinal, um protocolo de intenções não representa um compromisso concreto.

Outro risco para os baianos está na possibilidade do interesse do Paraná virar uma espécie de leilão, com o governo do estado sentindo-se obrigado a elevar o patamar de negociação com a BYD, oferecendo melhores condições ou incentivos fiscais – o que o governo paranaense pode fazer também.

De sua parte, a Stellantis parece ter decidido esperar para ver o que acontece. A empresa limitou-se a comentar que também recebeu consultas de outras montadoras a respeito da unidade de Campo Largo.

Usinagem Brasil © Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por:

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Privacidade.