São Paulo, 15 de junho de 2024

Apoio:

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio

19/11/2022

VHybrid 260, da Vollmer: novos padrões na eletroerosão

(20/11/2022) – Especialista em afiação, a fabricante alemã Vollmer aprimorou a máquina de afiação e eletroerosão VHybrid 260, que possibilitou atingir qualidade de superfície de 0,05 µm/Ra (mícrons/valor médio de rugosidade) na eletroerosão de ferramentas de PCD.

Segundo a empresa, a inovação do processo foi bem-sucedida graças à otimização do gerador Vpulse EDM e à utilização do software V@ boost (opcional) concebido para brocas e fresas com até 1 mm de diâmetro. “Essas ferramentas de PCD de muito pequenas dimensões são usadas, sobretudo, em setores como na indústria automobilística, na de tecnologia médica ou nas indústrias eletrônicas e de aviação”, informa a empresa.

A empresa destaca que as ferramentas de corte de PCD são um componente essencial de muitos processos de fabricação industrial. Devido à sua dureza e resistência ao desgaste, são particularmente adequadas para a usinagem de metais leves, compostos de fibra, materiais frágeis e madeira/compostos de madeira. No entanto, a afiação de ferramentas de PCD apresenta sempre grandes desafios, mesmo a fabricantes experientes. Especialmente quando as ferramentas precisam também ser retificadas ou polidas em várias superfícies funcionais após a usinagem erosiva. Isso geralmente é seguido de uma etapa de trabalho adicional, que implica uma gestão exigente.

Gerador com regulação adaptativa – A Vollmer conseguiu aperfeiçoar significativamente este processo de erosão com sua máquina de afiação e eletroerosão VHybrid 260 com um só suporte. Com o novo pacote de desempenho para o gerador Vpulse EDM, é possível, pela primeira vez, produzir de modo automático uma qualidade de superfície de ferramentas PCD de até 0,05 µm/Ra em modo de carregador seguro ao erodir com a VHybrid 260.

Esses valores podem ser alcançados devido ao uso de uma tecnologia de regulação adaptativa, em conjunto com a conhecida cinemática inovadora e robusta da VHybrid 260 e as mais baixas energias de descarga. Assim, é possível obter as superfícies mais finas. “A economia resultante de processos de custo elevado subsequentes permite que os fabricantes de ferramentas de PCD mantenham um negócio lucrativo, pois os custos de fabricação por ferramenta são reduzidos e aumentam a qualidade e a durabilidade destas para os consumidores finais”, garante a fabricante. Para o futuro, as ferramentas PCD de cabeça inteira também podem ser fabricadas de forma econômica nos menores intervalos de diâmetro.

Na feira AMB 2022, na Alemanha,  a empresa apresentou em seu estande como as ferramentas PCD são afiadas em um suporte com a máquina de afiação e eletroerosão VHybrid 260. Os resultados visíveis são superfícies refletoras que, de outra forma, só são possíveis com um trabalho de retificação complexo e caro. Ainda segundo a Vollmer, no futuro, a solução V@boost permitirá a integração da eletroerosão na usinagem de ferramentas como um processo de fabricação completo. “Com a VHybrid 260, os fabricantes de ferramentas podem realizar a usinagem, como é habitual, com uma condução do processo segura e de modo totalmente automático.”

Afiação e eletroerosão – Basicamente, a VHybrid 260, permite a afiação e eletroerosão em 100% das ferramentas de metal duro e PCD em um suporte. A base da VHybrid 260 é uma usinagem em vários níveis, realizada através de dois fusos dispostos verticalmente (tecnologia comprovada de sua série de máquinas de afiação Vgrind). Na VHybrid 260, o fuso inferior pode ser usado tanto para afiação, como para eletroerosão e o fuso superior está reservado exclusivamente para afiação.

Ferramentas padrão e especiais podem ser retificadas e erodidas de forma flexível, independentemente de as peças em bruto serem de metal duro, PCD ou placas de PCD soldadas. A máquina recebe ferramentas com diâmetro até 150 mm e comprimento até 360 mm. A usinagem completamente automática 24 horas por dia permite diversas soluções de automação: por exemplo, o carregador de corrente HC4 Plus tem espaço para até 53 ferramentas HSK. Além disso, é possível trocar de forma totalmente automatizada até oito rebolos ou discos de erosão.

“Com nossa nova solução V@boost, permitimos que os fabricantes de ferramentas penetrem no mercado de pequenas ferramentas de PCD, que inclui setores como a fabricação de automóveis, de tecnologia médica, a da indústria eletrônica e aeroespacial”, afirma Jürgen Hauger, gerente do Grupo Vollmer. “Além disso, o software booster recente é apenas um primeiro passo no caminho para novas inovações de processo para a VHybrid 260. O próximo objetivo é obter essa qualidade de superfície também para ferramentas de PCD com diâmetro inferior a 1 mm.”

Usinagem Brasil © Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por:

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Privacidade.