São Paulo, 05 de julho de 2022

Apoio:

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio

18/06/2022

Retomada na Região Sul impulsiona negócios da Açovisa

(19/06/2022) – Uma das mais importantes distribuidoras e prestadoras de serviços na área de siderurgia do país, a Açovisa, sediada em Guarulhos, na Grande São Paulo, está colhendo principalmente na Região Sul os frutos da gradual retomada do setor de construção civil, cujas empresas são grandes consumidoras de aço.

De acordo com o gerente de marketing da empresa, Giovani Marques da Costa, duas das três unidades da Açovisa que mais venderam e, consequentemente, cresceram em 2021, estão no Rio Grande do Sul: Caxias do Sul, com expansão de 30%, e Porto Alegre, com 15%. Elas só perderam para a unidade de Piracicaba, no interior de São Paulo, que cresceu substanciosos 50%.

“O destaque da Região Sul nos nossos negócios deveu-se, claro, ao nosso trabalho de prospecção e à qualidade de nossos serviços, mas não há dúvida que a expansão da economia sulista também colaborou para isto”, diz Costa, citando que indicadores do Ministério da Economia, do Banco Central e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) dão conta de que o crescimento da Região Sul tem se situado, geralmente, acima da média nacional.

De fato, Caxias do Sul, grande polo metalúrgico da Serra Gaúcha, tem se destacado pelo ímpeto mostrado na atração de novos negócios, e os bons resultados deste esforço está em que, só de janeiro a março deste ano, o município criou 24 mil novos postos de trabalho.

O cenário descortinado pela Açovisa para 2022 é de que a expansão dos negócios acompanhe a própria expansão do setor siderúrgico no país. A expectativa de crescimento é de 2,5% nas vendas internas de aço no Brasil até o final de 2022, e do aumento da produção em até 2,2% – índice similar ao do crescimento mundial estimado pela World Steel Association, também de 2,2%.

E esses números, levantados pelo Instituto Aço Brasil (IABr), podem ser considerados modestos pelo menos no que diz respeito às vendas, já que, para o Instituto Nacional dos Distribuidores de Aço (Inda), elas deverão crescer 3%.

Outros números recolhidos junto do IABr preveem um aumento de 1,5% das exportações ao longo de 2022, enquanto as importações devem passar por uma significativa queda de 12%.

Receba notícias
em seu e-mail

Usinagem Brasil © Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por:

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Privacidade.