São Paulo, 01 de julho de 2022

Apoio:

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio

28/05/2022

Romi cresce assumindo riscos, apostando no sucesso dos clientes

(29/05/2022) – A Romi adotou a estratégia de incentivar seus clientes a investir em novas tecnologias, criando soluções que facilitem e estimulem as indústrias a modernizar seus parques fabris.

Entre estas soluções está o Romi MaaS (Machine as a Service), serviço de locação que abrange grande parte do portfólio de máquinas da empresa. Na Feimec 2022, no início deste mês, também apresentou ao mercado a Prodz, fintech criada pela empresa para facilitar o acesso a linhas de créditos e financiamento a aquisição de máquinas e equipamentos.

Luiz Cassiano Rosolen, presidente da companhia, considera que nestes dois casos a Romi assume riscos junto com seus clientes. “Isso para nós é parceria. Estamos buscando formas de fazer nossos clientes terem sucesso mais rápido”, diz. “Na visão da Romi estamos entregando soluções de qualidade aos clientes para que eles prosperem. Afinal, nosso desempenho depende do sucesso dos nossos clientes”.

Risco – Para explicar o risco, Rosolen conta que, no caso da locação, a Romi entrega ao cliente uma máquina nova e moderna, em troca de uma parcela mensal do aluguel, que pode ser locada em um contrato de 12 ou 24 meses. Ou seja, enquanto a fabricante assume o custo de produção da máquina, o locador pode dar início ao seu projeto assim que recebe o equipamento.

Pode-se dizer, porém, que o risco tem valido a pena. O Romi MaaS é considerado um sucesso pela diretoria. Desde o seu lançamento, no início de 2020, já foram locadas mais de 330 máquinas, sendo 59 só no último trimestre.

“Com a Prodz é a mesma coisa. Ela permite que o cliente reduza a sua necessidade de alocar capital próprio na aquisição de uma máquina, ao mesmo tempo em que agiliza o início de seus projetos”, informa. “Nada contra o Finame. Aliás, a Romi adora o Finame”, observa o executivo, acrescentando que a Prodz foi criada para ser mais uma alternativa, mais uma opção para os clientes.

Segundo a Romi, “a Prodz garante as melhores condições em financiamentos para renovação de parques fabris, gerando aumento de produtividade e economia de recursos, tornando sua indústria mais rentável”.

Bom Momento – Rosolen se disse muito bem impressionado com o movimento e o volume de negócios proporcionado pela Feimec 2022. “Este é um reflexo do bom momento vivido pela indústria de manufatura brasileira”, diz. A companhia viu o faturamento da Unidade Máquinas crescer 21,3% em 2021, na comparação com 2020, movimento que se manteve no primeiro trimestre deste ano, com alta de 34,4% sobre o mesmo período do ano anterior.

Na feira, além da Nova Geração de centros de torneamento, com o lançamento do modelo GL 170G, a empresa apresentou novas soluções de automação. Entre elas, o TAP 760, um trocador automático de pallets, um sistema de carga e descarga automática de peças que garante alta produtividade. Entre os destaques, também exibiu um Centro de Furação e Rosqueamento Fanuc RoboDrill (marca que a Romi representa na América do Sul, exceto Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul), equipado com robô de alimentação e rebarbação. Software, processo e integração foram desenvolvidos pela engenharia da Romi.

Receba notícias
em seu e-mail

Usinagem Brasil © Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por:

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Privacidade.