São Paulo, 29 de junho de 2022

Apoio:

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio

28/05/2022

Máquinas e equipamentos: resultado abaixo do esperado

(29/05/2022) – O balanço de abril do setor de máquinas e equipamentos, divulgado pela Abimaq na semana passada, apontou queda dos principais indicadores na comparação com o mês anterior: receita líquida total, receita líquida interna, consumo aparente, importação e exportação. A exceção ficou por conta do número de postos de trabalho, que cresceu 1% no mês.

“No mês de abril, o setor fechou com números bem abaixo dos esperados. Uma queda não estimada, nessa ordem de grandeza”, observou Cristina Zanella, diretora de Economia, Estatística e Competitividade da Abimaq. A economista se referia à queda de 11,4% na receita total e 10,4% nas vendas no mercado interno, embora esses dois índices ainda estejam positivos (8,1% e 7,5%, respectivamente), quando analisados os 12 meses anteriores.

De acordo com Cristina, um dos fatores que podem ter pesado nos números foi a recente valorização do real frente ao dólar, de cerca de 15%, que geram perda no momento da conversão das exportações. As exportações caíram 11% no mês, embora também estejam positivas nos últimos 12 meses em 42,9%. A queda na capacidade de compra das famílias também influenciou os números para baixo, de acordo com a diretora, tanto que o segmento mais afetado do setor é o de máquinas para a produção de bens de consumo, que no período janeiro a abril acumula perdas de 34%.

Mas o cenário continua de otimismo, isto porque o balanço divulgado ainda não contabiliza os bons resultados obtidos nas duas principais feiras do setor, a Agrishow e a Feimec, realizadas no início de maio. “Provavelmente os negócios realizados nesses eventos vão se refletir nos resultados dos próximos meses. Ainda não quantificamos, mas certamente irão influenciar positivamente”.

Além disso, os dois segmentos que têm puxado o volume de negócios do setor para cima nos últimos tempos, máquinas agrícolas e máquinas para construção, seguem em alta. O faturamento de máquinas agrícolas cresceu 3,2% em abril e acumula alta de 7,9% no ano – apesar de ter registrado queda de 15,7% nas exportações no mês, embora acumule alta de 50,6% no ano.

Já o segmento de máquinas para logística e construção civil também registrou queda nas exportações, de 14,6% no mês, mas que segue positivo no acumulado do ano, com 29,1% de alta. A produção de máquinas rodoviárias – que integra este segmento – cresceu 29,4% no mês, com alta nas vendas para o mercado interno de 29%. “É um crescimento importante”, disse Cristina, lembrando que este é o segmento que tem obtido os melhores resultados do ano, entre os mais de 30 segmentos que compõem o setor de máquinas e equipamentos.

Receba notícias
em seu e-mail

Usinagem Brasil © Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por:

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Privacidade.