São Paulo, 16 de maio de 2022

07/05/2022

Navegar é preciso, por Aldeci Santos

(*) Aldeci Santos

(08/05/2022) – Se o mar não está calmo, as habilidades do comandante serão primordiais para a segurança da tripulação e integridade da embarcação. Mas o barco pode entrar num mar calmo e, depois de um tempo, o mar se torna revolto.

Me parece que essa situação também se aplica em nosso meio produtivo. Cada dia um desafio.

Tenho observado, nesses meus mais de 40 anos da indústria, que somos comandantes guiando nossos barcos. Alguns lidam melhor que outros, mas “o barco” navega.

A frase que tanto se ouve para motivação das pessoas na busca de seus sonhos, é “querer é poder“. Acho que, além disso, existem alguns ingredientes essenciais: o conhecimento e a informação.

Voltando para a nossa área da manufatura, muitas vezes queremos, mas nem sempre podemos, devido aos recursos disponíveis, que podem ser humanos ou materiais. Além disso, um fator decisivo é a informação, que muitas vezes está disponível e sem custo algum, mas que, por vários motivos, não chegam até nós.

Por isso, acreditamos que as áreas de compartilhamento de conhecimento, sejam presenciais ou virtuais, são vitais para o sucesso das ações nas empresas.

Esta semana tivemos a Feimec e era perceptível que os visitantes estavam buscando soluções e informações. Alguns adquiriram equipamentos que necessitam de outros componentes. Por exemplo, uma máquina-ferramenta sozinha não produz, precisará de óleos lubrificantes, fluídos de corte, dispositivos de fixação, ferramentas, de treinamento do operador, de fornecimento de ar comprimido etc.

Por outro lado, para quem quer estar em um nível superior, entram as inovações que transformam (ou elevam) o nível da manufatura para classe mundial. Isto é, eficiência acima de 85%. Estamos falando de automação, equipamentos que auxiliam o processo sem a participação direta do homem, aquisição e controle de dados, gerenciamento dos recursos com sistemas “inteligentes”, o uso das facilidades digitais, entre outros.

Em resumo, sem o conhecimento (e a utilização) da informação correta, perdemos competitividade e eficiência.

Sendo assim, nossa sugestão é que as empresas procurem ajuda dos especialistas em cada uma das áreas em participam. Certamente eles terão muito para oferecer. É assim que nascem as parcerias da cadeia produtiva com ganhos mútuos.

Antes de iniciar um novo investimento, reflita sobre isso. Certamente seu negócio será muito mais sólido e produtivo.

(*) Aldeci Santos é gerente do Coromant Center da Sandvik Coromant do Brasil

Receba notícias
em seu e-mail

Usinagem Brasil © Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por:

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Privacidade.