São Paulo, 17 de maio de 2022

Apoio:

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio

30/04/2022

Indústria de autopeças melhora o desempenho no 1º bimestre

(01/05/2022) – De acordo com o Relatório da Pesquisa Conjuntural publicado recentemente pelo Sindipeças – Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores, o faturamento líquido da indústria de autopeças apresentou crescimento de 12,4% em fevereiro em relação a janeiro.

Conforme divulgado pelo Sindicato, a variação está ligada ao comportamento dos preços no período, que leva à dedução de que as vendas físicas evoluíram em ritmo menor. A entidade também destaca que, embora no primeiro bimestre de anos anteriores tenham ocorrido variações positivas, o movimento se mostrou superior em janeiro quando comparado ao de fevereiro, diferente do registrado em 2022.

O cenário seria justificado pela maior quantidade de dias úteis no primeiro mês do ano – considerando o intervalo de Carnaval, habitualmente em fevereiro –, mas também devido à evolução dos preços. O Sindipeças menciona, em caráter ilustrativo, que o índice mensal de preços de acessórios e peças automotivas, capturado pelo IPCA (IBGE) no comércio, variou de 0,35% em janeiro para 1,67% em fevereiro.

Em comparação a fevereiro/21, houve um aumento de 27% no faturamento nominal. No primeiro bimestre do 2022, o crescimento da receita foi de 19,9% em relação aos últimos 12 meses (52,9%). “Note-se, porém, que o ritmo de expansão recente tem sido inferior àquele observado nos derradeiros meses de 2021, quando a base mais fraca (2020) exercia Influência decisiva no cálculo comparativo”, salienta a Sindipeças em seu relatório.

A segmentação por canal de venda trouxe crescimento em Montadoras (18,1%), o que fez crescer a participação desse grupo para 68,2% do total do faturamento das autopeças. Na sequência, foi registrado um aumento de 2,1% das vendas para o mercado de reposição (13,4% do total) e uma pequena alta do valor das exportações em reais (0,8%).

O uso da capacidade instalada ficou 3 p.p. acima da utilização de janeiro (73%). Com respeito aos postos de trabalho, registrou-se queda de 1,3% na passagem mensal, porém verificou-se aumento de 4,2% no bimestre frente à igual período do ano anterior.

Receba notícias
em seu e-mail

Usinagem Brasil © Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por:

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Privacidade.