São Paulo, 20 de maio de 2022

Apoio:

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio

12/02/2022

AMT Brasil fecha Tech Center de Sorocaba

(13/02/2022) – A AMT Brasil, subsidiaria da AMT – The Association For Manufacturing Technology, associação norte-americana dos fabricantes de tecnologia de manufatura, decidiu fechar o tech center que mantinha há oito anos em Sorocaba (SP). Um novo modelo foi implementado pela entidade para seguir dando suporte às empresas de origem norte-americanas no Brasil e em toda a América do Sul.

“Vamos dar continuidade aos serviços prestados às empresas norte-americanas no Brasil, porém em um formato diferente”, explica Achilles Arbex, que foi responsável pelas atividades do Tech Center de Sorocaba na posição de gerente geral de 2013 a 2022, e que acaba de ser transferido para a matriz da AMT, nos EUA, para atuar como diretor do Departamento de Global Services. Em sua nova posição, Arbex dirigirá as unidades instaladas em Monterrey (México), Chennai (Índia), Beijing e Shanghai (China) e Varsóvia (Polônia).

“Vamos manter nosso escritório em Sorocaba, porém os serviços que oferecíamos às empresas serão redirecionados para execução via centro de tecnologia de Monterrey (México) ou por empresas parceiras que no decorrer dos anos trabalharam com a AMT”, diz Arbex, lembrando que entre esses serviços estão os de engenharia de aplicação, instalacão e suporte técnico, RH, importação, exportação, armazenagem e logística.

Arbex explica que a pandemia implicou em grande queda no investimento estrangeiro por parte das empresas associadas. Desde 2013, o centro de tecnologia prestou servicos para mais de 50 empresas, sendo que 10 delas permanecem ativas no Brasil via parceiros. “A grande maioria das empresas se graduou, ou seja, instalou operações próprias ou desenvolveu laços e parcerias sólidas no Brasil, podendo assim seguir com os negocios sem a necessidade do suporte da AMT”, diz Arbex.

O conceito dos Tech Centers, segundo Arbex, é o de ser uma extensão das operações dos fabricantes dos EUA em território estrangeiro. Nesse modelo, os associados da entidade podem se valer de uma estrutura completa – do RH à área de Vendas – no início de suas operações no exterior, sem a necessidade de incorporação.

A partir de agora, as empresas norte-americanas interessadas no mercado brasileiro serão atendidas pelo escritório central nos EUA, com participação do Tech Center de Monterrey, no México, agora responsável por toda a América Latina, e que está sob o comando de Carlos Mortera.

Receba notícias
em seu e-mail

Usinagem Brasil © Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por:

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Privacidade.