São Paulo, 25 de maio de 2022

Apoio:

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio

05/02/2022

Como eliminar o mau gerenciamento de estoques

(06/02/2022) – A produtividade é a principal meta dos fabricantes e tem efeitos indiretos sobre os recursos, a eficiência operacional e o resultado final. Apesar disso, uma causa importante de perda de tempo continua a ser negligenciada: a má gestão de estoques. Ter a ferramenta certa disponível no momento certo é extremamente importante para os fabricantes. É o que afirma Francis Richt, gerente Global de Negócios de Usinagem Digital da Sandvik Coromant, ao explicar como o software especializado em ferramentas pode ajudar os fabricantes a equilibrar seus estoques e lucros.

Em uma fábrica tradicional os operadores podem gastar até 20% do tempo procurando ferramentas, enquanto 15% dos trabalhos são reprogramados ou atrasados porque as ferramentas corretas não puderam ser encontradas. Essas constatações, baseadas na pesquisa da Sandvik Coromant junto aos seus próprios clientes, mostram até que ponto a má gestão de estoques desperdiça o tempo dos fabricantes. A má gestão do estoque leva a níveis acumulados de estoque de alto valor, grandes volumes de estoque que podem se tornar obsoletos ou esgotados, o que significa que o estoque se esgota quando uma determinada ferramenta é mais necessária. Outros efeitos incluem dificuldades em medir o desempenho da ferramenta e custos mais altos para o gerenciamento de estoque e processamento de pedidos.

Um setor tão preocupado com prazos, a manufatura, não deveria desperdiçar tanto tempo procurando ferramentas e peças de reposição. Então, onde os fabricantes estão cometendo erros na gestão de estoques? Um dos problemas é que o gerenciamento de ferramentas e os sistemas de venda automática de ferramentas permanecem isolados dentro de muitas organizações. Além disso, essas empresas dependem de trabalhadores humanos para inspecionar e reabastecer seus armários de ferramentas. Muitos fabricantes relutam em adotar a digitalização porque não sabem como a Indústria 4.0 pode se encaixar em seus processos de trabalho estabelecidos – como planejamento de recursos empresariais (ERP), controle de supervisão e aquisição de dados (SCADA) e sistemas de execução de manufatura (MES) – e conseguir a adesão dos trabalhadores do chão de fábrica.

A Sandvik Coromant definiu a meta de mudar isso nos próximos cinco anos – mas como? Ajudando os clientes a automatizar sua gestão de estoque através de software. Fazendo isso, eles conseguem resolver problemas de mau gerenciamento de estoques de forma a superar sua relutância em entrar na era digital e beneficiar o resultado final.

Tempos de produção mais rápidos – Em seu relatório Fábricas digitais de 2020: Moldando o futuro da manufatura publicado no ano passado, a Pricewaterhouse Coopers (PwC) observou que, “o efeito completo da digitalização só é percebido quando as empresas estão conectadas em tempo real a seus principais fornecedores e clientes críticos”. Em particular, eles estão conseguindo isso usando dispositivos da Indústria 4.0 como sensores nas linhas de produção e montagem para capturar dados em tempo real para melhorar as capacidades analíticas e tomar decisões bem embasadas. Assim como no gerenciamento da cadeia de suprimentos, esse conceito de melhor captura de dados também pode ser aplicado ao gerenciamento de estoques.

Porém, é um desafio porque o gerenciamento de estoques tem muitas facetas diferentes. Elas incluem o monitoramento dos níveis de estoque e o conhecimento de quando novas ferramentas precisam ser encomendadas, para garantir que a produção nunca fique parada. Um exemplo citado no relatório da PwC é a fábrica da Fujitsu em Augsburg, Alemanha, que usa o monitoramento automatizado para otimizar seus níveis de estoque e evitar faltas de peças. De acordo com o relatório, a instalação possui “um armazém provisório (seu “supermercado”) e veículos elétricos autônomos integrados em seu MES, a fim de garantir uma entrega “just in sequence” de componentes”.

Neste caso, o gerenciamento digitalizado do estoque faz mais do que economizar o tempo da empresa, ele suporta tempos de produção mais rápidos. Um melhor gerenciamento de estoques não é exclusivo de grandes multinacionais como a Fujitsu. Com softwares, fabricantes de médio e pequeno portes também podem automatizar seus próprios processos multifacetados de gerenciamento de estoque.

Agregando valor aos processos – Existem muitos métodos de logística de venda grátis para implementar, mas muitos não agregam valor ao processo. Em vez disso, o CoroPlus Tool Supply da Sandvik Coromant foi planejado para agregar valor, impulsionando a automação com maior eficiência e sustentabilidade possibilitada por dados e ideias.

O CoroPlus Tool Supply reúne hardware – especificamente, armazenamento de ferramentas – e software. O cliente recebe uma máquina de venda automática de ferramentas com sistema de gavetas combinado com uma poderosa plataforma de software. Ele é acessível através de um PC ou tablet. O software de automação oferece aos fabricantes uma alternativa para fazer tudo manualmente e pode evitar incorrer em um custo de tempo quando há pouco tempo disponível. O CoroPlus Tool Supply também foi projetado para gerenciar as muitas facetas do gerenciamento de estoques, como o monitoramento dos níveis de estoque enquanto outra característica é a automatização da compra da ferramenta.

Um importante valor agregado do software é seu recurso de compra automatizada de ferramentas. Um trabalhador que rastreia manualmente o conteúdo de um gabinete de ferramentas pode contar com o CoroPlus Tool Supply para encomendar e abastecer automaticamente esse estoque de ferramentas. O software permite que os trabalhadores retirem e devolvam ferramentas no chão de fábrica e dá suporte ao gerenciamento de reabastecimento e manutenção contínua do estoque – tudo em tempo real.

Em outras palavras, humanos e software podem trabalhar juntos perfeitamente. Contudo, como o software pode abordar a relutância dos fabricantes em se tornarem digitais?

Tomar melhores decisões – Outro benefício software é sua interface de usuário baseada em funções (RBUI). As RBUIs também são a última tendência em software ERP, permitindo aos trabalhadores que executam repetidamente as mesmas tarefas acessar mais facilmente seus aplicativos de uso frequente. Isso pode ser crucial para ganhar a adesão dos trabalhadores do chão de fábrica. A plataforma da Sandvik Coromant inclui dados de ferramentas de corte de conectividade através da oferta CoroPlus. Isso se conecta com bancos de dados de produtos de diversos fornecedores e permite a importação de informações corretas de ferramentas, incluindo parâmetros ISO, listas de material e peças de reposição. Junto com o software CoroPlus Tool Supply, a empresa também pode fornecer os gabinetes que armazenam as ferramentas.

Os especialistas da Sandvik Coromant veem a automação como parte integrante da melhoria da eficiência e da sustentabilidade de seus clientes. Afinal, um aspecto fundamental da sustentabilidade, especialmente a eficiência energética, está sendo capaz de analisar e prever o uso de recursos, incluindo o estoque de ferramentas. “Enquanto a Indústria 4.0 está beneficiando a sustentabilidade na linha de produção com sensores e assim por diante, o CoroPlus Tool Supply pode fazer o mesmo com estoques para garantir que eles sejam usados com eficiência de tempo, custo e energia”, diz Richt.

“Nos próximos anos, prevemos que softwares como este se tornem mais integrais para a tomada de decisões em todo o processo de manufatura. Um exemplo é que, ao planejar a usinagem de uma peça nova, o software ajuda a decidir qual ferramenta usar. Outra situação é que o software está mais conectado à máquina e ao escopo do trabalho. Digamos que você planeje usinar 50 ou 100 peças: você tem ferramentas suficientes, elas vão se desgastar ou você pode concluir seu trabalho com seu estoque de ferramentas existente?”, observa o gerente.

“Prevemos que esse tipo de automação acontecerá definitivamente nos próximos anos. Atualmente, os fabricantes já podem usar o software para garantir que a produtividade seja sua meta principal”, conclui Richt.

Receba notícias
em seu e-mail

Usinagem Brasil © Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por:

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Privacidade.