São Paulo, 10 de agosto de 2022

Apoio:

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio

03/12/2005

Exportações já representam 50% das vendas da TaeguTec

Tech Center, da TaeguTec, na Coréia
Criada em 1916, a Korea Tungsten Company era até a década passada uma empresa local. Apesar de dominar o concorrido mercado sulcoreano, tinha pouca presença no exterior. Em 1998, quando foi adquirida pelo IMC Group, os novos controladores tomaram algumas decisões estratégicas: a primeira foi alterar o nome para TaeguTec Ltd.; a segunda foi internacionalizar a empresa. Resultado: hoje as exportações já respondem por quase 50% das vendas. Em 2005, o faturamento global deve atingir US$ 300 milhões.

O desempenho no mercado internacional tem até reconhecimento governamental. Atrás de sua mesa, o presidente mundial da TaeguTec, Moshe Sharon, mantém em destaque um trófeu, concedido pelo governo da Coréia do Sul por ter dobrado as exportações em 2004. Sharon já reserva inclusive espaço para outro, referente ao exercício de 2005. “Estamos dobrando as exportações novamente”, diz.

Outras decisões tomadas em seguida ao ato da compra foram as de investir na produção, em infra-estrutura e modernização da fábrica, pesquisa e desenvolvimento, educação e treinamento dos funcionários. A planta da TaeguTec, que ocupa 250 mil m² de área na província de Daegu, na Coréia, é atualmente uma das mais modernas fábricas de ferramentas de corte do mundo, como pôde constatar o grupo de clientes brasileiros que visitou as instalações há duas semanas.

Sharon não revela o montante dos investimentos realizados pelo IMC Group até aqui. Informa apenas que em 2005 estão sendo investidos US$ 20 milhões; em 2006, serão US$ 25 milhões, incluindo a nova unidade para ferramentas de furação. Não contabilizados aí os investimentos em pesquisa e desenvolvimento, estimados em 10% do faturamento líquido.

A manutenção dos investimentos num nível alto é sinal de que as expectativas do IMC Group estão sendo atendidas. E não é para menos: tem registrado crescimento expressivo (com exceção do ano de 2000) desde 1999. Em 2003, o aumento foi de 30%; em 2004, de 39%, e a estimativa de se chegar a 38% em 2005 já foi superada (42%, no início de novembro).

“A indústria mundial de automóveis, de autopeças e de máquinas passou a nos reconhecer como um fornecedor forte”, diz Sharon, para justificar o contínuo crescimento dos últimos anos. Para tanto, foi importante manter a liderança no mercado sulcoreano, no qual é o principal fornecedor de ferramentas de corte, detendo fatia de 38%. A Coréia conta hoje com destacados fabricantes de automóveis, como Hyundai, Kia Motors, GM Daewoo, entre outros. Só a Hyundai produz na fábrica de Ulsan 3 milhões de veículos/ano – mais do que toda a produção brasileira. A TaeguTec é a principal fornecedora de ferramentas para a Hyundai, com 26% do total, assim como da Kia (21%) e da GM Daewoo (27%).

Outro fato importante é que acaba de conquistar o gerenciamento de ferramentas da nova fábrica de motores da Hyundai, que produzirá 250 mil motores/ano. A TaeguTec também tem o gerenciamento de ferramentas da unidade da Kia, na Eslováquia, que produzirá 300 mil motores/ano; e da nova linha da GM Daewoo, na Coréia, que produzirá 290 mil motores/ano. “Hoje, já gerenciamos as ferramentas em unidades que somam 900 mil motores/ano. Em dois anos, esse número deve dobrar, chegando a 1,8 milhão. Não conheço outra empresa com volume semelhante no segmento de motores”, afirma Sharon.

Nesses seis anos de atividades, já foram instaladas 11 filiais: Japão, China, Brasil, Austrália, EUA e Índia (onde está a segunda fábrica da empresa) e cinco na Europa. Todas as filiais são bem-sucedidas, mas Sharon destaca o forte crescimento obtido na Ásia. “Estamos crescendo rápido em toda a Ásia, mesmo no Japão onde temos filial há apenas dois anos”, afirma. No Brasil, após os bons desempenhos de 2004 (55%) e 2005 (estimativa de 24%), a meta para 2006 é alcançar incremento de 40%.

Quanto aos segmentos de atuação, Sharon ressalta que a empresa foca o mercado de usinagem em geral (general machining). À herança da Korea Tungsten na área de torneamento, com destaque para os insertos de cerâmica, a TaeguTec agregou vários desenvolvimentos na área de fresamento e, mais recentemente, também em furação. Hoje, torneamento representa 35% dos negócios, fresamento fica com 35%, furação 10%; os 20% restantes estão divididos entre peças de desgaste, rolos de metal duro e pó de metal duro. Se não existe foco nas linhas de produtos, no que se refere a mercados a prioridade é bem evidente: as indústrias automobilística e de autopeças, já que esse setor é também o maior consumidor mundial de ferramentas de corte. (Antonio Borges Netto).

* Antonio Borges Netto viajou à Coréia do Sul à convite da TaeguTec

Receba notícias
em seu e-mail

Usinagem Brasil © Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por:

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Privacidade.