São Paulo, 15 de abril de 2024

Apoio:

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio

17/10/2015

Para a ABB, setor de robótica fechará 2015 estável


(18/10/2015) – Ainda que o setor automotivo tenha reduzido os pedidos, o setor de robótica da ABB Brasil trabalha com a perspectiva de fechar o exercício de 2015 com números semelhantes aos do ano passado. “Devemos fechar o ano com o mesmo número de robôs vendidos e com um volume de negócios cerca de 10% maior”, informa Rodrigo Bueno, gerente-geral da ABB Robótica Brasil.

Bueno explica que o mercado brasileiro, ao longo deste ano, viu reduzir o número de grandes projetos, em especial do setor automotivo – o principal consumidor de robôs no País e que reduziu as compras em cerca de 30%. De outro lado, cresceu a demanda de projetos de menor porte, envolvendo apenas um ou dois robôs, encomendados por empresas não ligadas ao setor automotivo. “As pequenas e médias empresas, em busca de maior produtividade e redução do custo da mão de obra, são as responsáveis pelo aumento no volume de negócios neste ano”, informa.

Application Center – O gerente deu estas informações durante a realização o ABB Customer Day, realizado na semana passada em Guarulhos (SP), voltado à apresentação das soluções da empresa para solda e corte. De acordo com Bueno, a ABB Robótica se transferiu no final do ano passado de Osasco para Guarulhos, onde foi instalado um Application Center.

No local, com área de 2 mil m², a ABB investiu cerca de R$ 1 milhão só em equipamentos para a instalação de quatro células de demonstração de corte e solda. Além de demonstrações, o Application Center também é utilizado para a realização de try-outs e testes de aplicações de clientes.

Bueno explica que o fato de contar com um Application Center demonstra a capacidade técnica da filial brasileira. “Isto significa que fomos habilitados para a aplicação de processos de corte e solda de forma independente, ou seja, sem a necessidade de interferência da matriz. Apenas seis países contam com applications centers”, diz, acrescentando que a partir de agora a filial brasileira – que hoje conta com 120 funcionários, distribuição entre as áreas de aplicações, sistemas de automação e assistência técnica – passa a atender também toda a América do Sul.

Na avaliação do gerente, a demanda por robótica no Brasil deve crescer de 10 a 15% ao ano, a partir de 2017. Em termos de aplicações, a área de solda e corte ainda responde pela maioria dos pedidos, mas têm crescido os segmentos de manipulação, embalagens e usinagem.

Receba notícias
em seu e-mail

Usinagem Brasil © Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por:

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Privacidade.