São Paulo, 27 de Novembro de 2021

  • Notícias

    Fábrica de campeões de usinagem


    (25/11/2012) - Todos os seis funcionários que trabalham na Berns Serviços de Usinagem, de Jaraguá do Sul (SC), são medalhistas na fase estadual da Olimpíada do Conhecimento do Senai. E a até a mais recente edição do evento, realizada na semana passada, em São Paulo, apenas um deles não contava com uma boa colocação na fase nacional.

    Não mais. Guilherme Souza Eing encerrou a prova de tornearia convencional em quinto lugar, com 522 pontos, merecendo o Diploma de Excelência, numa disputa que contou com 18 participantes.

    A relação da empresa com a Olimpíada do Conhecimento é anterior a sua fundação. Começou em 1994, quando Ivanildo Berns, hoje com 36 anos, obteve o bronze em ferramentaria na etapa nacional do então Torneio Nacional de Educação Profissional. Em 2002, seu irmão mais novo, Ivan, hoje com 28 anos, foi o quinto colocado em usinagem convencional na fase nacional da Olimpíada do Conhecimento. E foi o irmão do meio, Ismael, que está com 29 anos, que alcançou o ouro na edição de Belo Horizonte, em 2004, também em usinagem convencional.

    Além da excelência profissional, os três demonstraram ter espírito empreendedor. Após a conquista de Ismael, os irmãos (então professores do Senai) resolveram investir no próprio negócio. Criaram a Berns Serviços de Usinagem para produzir peças de reposição de máquinas têxteis, prestando serviços de usinagem convencional , CNC e consultoria.

    Um detalhe importante é que a empresa não contrata os campeões, mas ajuda a treinar jovens promissores. Foi desta forma que entraram na empresa Alessandro Weiss, hoje com 25 anos e que foi prata em fresagem, em 2006 no Recife, e Eduardo Fodi, atualmente aos 22 anos, que foi o nono colocado em tornaria convencional em 2008, na capital paranaense. Em 2012, além de Guilherme, os irmãos Berns também ajudaram a treinar Hallan Rhuan Dalagnoli, de Brusque, quarto colocado na disputa em fresagem convencional.

    Ismael Berns acredita que a participação na Olimpíada do Conhecimento é um processo em que os dois lados ganham. "A empresa se beneficia dos conhecimentos e competências que os competidores trazem das provas”, afirma. Para os estudantes, considera que oferece crescimento pessoal e profissional. "É uma oportunidade única para a pessoa. Durante o processo de preparação, o competidor absorve informações que melhoram seu processo profissional e pessoal".

    Ismael Berns sabe que a empresa pode estar apoiando possíveis futuros concorrentes. "Eles se tornam profissionais muito requisitados e valorizados. Também poderão seguir nosso exemplo e montar seu próprio negócio. Se essa preocupação fosse um obstáculo, nunca ninguém seria treinado", afirma.

    Guilherme, que ganhou o Diploma de Excelência, aprova todo o processo: "Quem estiver em dúvida se participa ou não da Olimpíada do Conhecimento, pode ter certeza que é muito gratificante".