São Paulo, 27 de Novembro de 2021

  • Notícias

    Brametal amplia fábrica no Espírito Santo


    (21/11/2021) - A Brametal irá inaugurar na próxima quinta-feira, 25, uma nova linha de produção no complexo fabril de Linhares (ES), voltada exclusivamente para a fabricação de produtos para o mercado de geração de energia solar fotovoltaica.

    Foram investidos na nova unidade R$ 7 milhões, além de outros R$ 5 milhões no desenvolvimento do setor de engenharia. O objetivo da empresa é ampliar com alguns novos produtos o atendimento que presta desde 2014 ao mercado de energia solar, hoje em franca expansão no Brasil.

    “A nova área será dedicada principalmente à produção de estruturas de solo para suporte de painéis fotovoltaicos, nas soluções do tipo fixa e do tipo seguidor solar”, adianta Maurílio Hidalgo, gerente comercial da Divisão Solar da Brametal, segundo quem as estruturas serão fabricadas com tecnologia totalmente nacional.

    De acordo com Hidalgo, o projeto é também mais um passo na estratégia de expansão da empresa no setor de energia em geral. De fato, a Brametal também oferece, desde março deste ano, braços e suportes para luminárias utilizadas em sistemas de iluminação pública, outro mercado que vem crescendo no país.

    Para a montagem desta área fabril, foram investidos R$ 5 milhões em maquinário automatizado, capaz de deter todos os processos de fabricação, desde a concepção e parte de engenharia dos postes cônicos contínuos e braços, até os ensaios, cortes, conformação, galvanização, embalagens e logística.

    “Com este novo chão de fábrica, a Brametal capacitou-se a não só ampliar o mix de produtos para o segmento de iluminação pública, com a possibilidade de novos negócios e parcerias, como também a participar de licitações”, diz Ernesto Ullrich, gerente comercial da Divisão de Iluminação Pública da Brametal.

    Fundada em 1975 na cidade de Criciúma (SC), originalmente para atender o mercado de construção civil, a Brametal é considerada hoje a maior empresa das Américas na fabricação de estruturas metálicas galvanizadas a fogo para geração, transmissão e distribuição de energia elétrica e telecomunicações. Sua capacidade de produção, somando as fábricas catarinense e capixaba, é de 200 mil t/ano.