São Paulo, 20 de Setembro de 2021

  • Notícias

    Implementos rodoviários: vendas confirmam recuperação

    (12/09/2021) - A entrega ao mercado pela indústria de implementos rodoviários de 15 mil produtos no mês de agosto veio confirmar, para a Anfir - Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários, que o setor consolidou o seu processo de recuperação.

    Para a entidade, é ainda um forte indicativo de que a previsão de comercialização de 156 mil unidades ao longo de 2021, 30% a mais do que em 2020, poderá ser atingida.

    O desempenho no mês de agosto foi 36% maior do que em janeiro, por exemplo, quando foram emplacados 11 mil implementos. Na comparação do acumulado até agosto diante do mesmo período de 2020, o aumento foi de 45,5%. Nos primeiros oito meses deste ano a indústria entregou ao mercado 107.298 unidades, contra 74.744 produtos no mesmo período do ano passado.

    O segmento pesado (reboques e semirreboques) segue com recuperação mais aquecida: crescimento de 51,86% nos oito primeiros meses deste ano, com 61.445 produtos emplacados. No segmento leve (carroceria sobre chassis), o percentual de recuperação foi de 37,77%, com 45.853 unidades comercializadas.

    O bom desempenho do setor no primeiro semestre deveu-se principalmente à demanda do agronegócio e da construção civil, que pôde ser atendida apesar das dificuldades enfrentadas pelo setor no tocante ao abastecimento de matérias-primas e componentes, e dos impactos diretos provocados pela pandemia da covid.

    “Esse maior volume de emplacamentos mostra que a revisão de nossa previsão anual foi acertada”, comemora José Carlos Spricigo, presidente da Anfir. De fato, no início de 2021, a entidade previa crescimento de 10% no volume de emplacamentos no ano em relação a 2020, contra os 30% agora previstos.

    Spricigo observa que o crescimento mensal no volume de emplacamentos tem sido marcado também pela consistência – não está acontecendo aos saltos, mas de maneira firme e gradual, tendo registrado só uma pequena queda em abril.

    Houve 11 mil emplacamentos em janeiro e outros 11 mil em fevereiro. O número saltou para 13,5 mil em março, caiu ligeiramente em abril, para 12,7 mil, mas voltou a crescer em maio, para 13,9 mil. Em junto, alcançava 14 mil, somando 15 mil em julho e mais 15 mil em agosto.