São Paulo, 20 de Setembro de 2021

  • Notícias

    Caoa faz contratações e inicia 2º turno em Anápolis


    (12/09/2021) - A Caoa Montadora deu início às operações do segundo turno na fábrica de Anápolis (GO). Para tanto, foram contratados 385 funcionários (ao todo, a unidade criou 789 novos postos de trabalho em Goiás). Essas contratações têm como objetivo suprir o crescimento de volume da marca Caoa Chery naquela unidade fabril.

    “Temos muito orgulho, como uma montadora 100% nacional, em seguir investindo no Brasil. Só neste ano, houve a criação de 789 novos postos de trabalho diretos e esperamos realizar novas contratações nos próximos dias”, disse Mauro Correia, CEO da Caoa. Segundo ele, as novas vagas fazem parte de um grande plano de investimentos iniciado em 2020, de R$ 1,5 bilhão em 5 anos, para a planta de Anápolis.

    De acordo com nota divulgada pela Caoa, com a abertura do segundo turno, a capacidade de produção em Anapolis tem expectativa de 28% de aumento. A planta de Anápolis é responsável, atualmente, pela produção de três SUVs do portfólio da Caoa Chery: Tiggo 5X, Tiggo 7 e Tiggo 8, além dos modelos Hyundai IX35, New Tucson e das camionetas Hyundai HR e HD80.

    Segundo a montadora, os novos funcionários já iniciaram suas atividades na fábrica e foram recrutados por meio do programa Caoa Capacita, em parceria com o Senai, curso gratuito oferecido à população de Anápolis e região. Desde o início do curso, em abril de 2021, até o momento, já foram matriculadas mais de 1.100 pessoas, destas, 350 já foram contratadas pela Caoa Montadora. Entre as contratações estão montadores de veículos, operadores de produção e auxiliares de logística.

    Em abril, durante as comemorações dos 14 anos da fábrica de Anápolis, o CEO da empresa afirmou: “Projetamos 10 novos lançamentos, entre modelos novos e renovação dos atuais, introdução de tecnologias de eletrificação e também a possibilidade do início de produção de uma nova marca”. O projeto, segundo Correia, engloba ainda a atração de empresas fornecedoras quando a produção anual ultrapassar as 100 mil unidades.