São Paulo, 24 de Outubro de 2021

  • Notícias

    Máquinas e equipamentos, o setor industrial mais otimista


    (29/08/2021) - O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) apresentou em agosto um aumento de 1,2 ponto, elevando-se para 63,2 pontos. Vale destacar aqui o fato de, neste levamento, o setor de Máquinas e Equipamentos ter apresentando o maio índice de confiança, 3,4 pontos acima da média.

    De acordo com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), responsável pela pesquisa, foi a quarta alta consecutiva do índice, que acumula avanço de 9,5 pontos na comparação com abril.

    Foi também o quarto mês consecutivo em que todos os setores industriais considerados na pesquisa feita pela instituição se mostraram confiantes, e o 13.o mês em que a indústria em geral demonstrou confiança.

    Na comparação com julho, o indicador cresceu em 21 dos 30 setores da indústria, não variou em 2 e caiu em 7 deles. No entanto, mesmo onde ocorreu a queda, a confiança do setor continuou elevada.

    O setor mais confiante no mês de agosto foi o de Máquinas e Equipamentos (66,6 pontos), seguido pelo setor de Químicos (65,9), Máquinas, Aparelhos e Materiais Elétricos (65,1) e Produtos de Metal (65).

    Por sua vez, o setor de Manutenção, Reparação e Instalação de Máquinas e Equipamentos foi o que registrou a queda de confiança mais intensa.

    “Mas o indicador passou de 63,9 pontos para 60,2 pontos, o que demostra que a confiança ainda segue alta e disseminada neste setor”, observa o gerente de Análise Econômica da CNI, Marcelo Azevedo.

    O ICEI varia de 0 a 100 pontos. Valores acima de 50 pontos indicam confiança do industrial e, quanto mais acima de 50 pontos, maior e mais disseminada ela é. Pelo contrário, quanto mais próximo de 0, menor é a confiança.

    Para o levantamento, foram entrevistados 1.477 empresários, dos quais 580 de pequeno porte, 558 de médio porte e 339 de grande porte.

    A pesquisa também mostra que o Índice de Expectativas do empresário diante da economia e do desempenho da própria empresa nos próximos seis meses manteve-se positivo. Já posto em um patamar elevado, o índice avançou 0,8 ponto, atingindo 66 pontos.

    De acordo com a CNI, o Índice de Condições Atuais, um dos componentes do índice de confiança da indústria e que mostra a percepção sobre as condições nos últimos seis meses, apontou igualmente uma percepção mais positiva do estado atual da economia e das empresas. O índice cresceu 1,8 ponto, para 57,5 pontos.