São Paulo, 18 de Janeiro de 2022

  • Notícias

    Mercedes investe na produção de ônibus elétricos no ABC


    (29/08/2021) - A Mercedes-Benz do Brasil, que está comemorando 65 anos de atividades, apresentou na semana passada o eO500U, seu primeiro chassi de ônibus elétrico 100% desenvolvido pela equipe de engenharia brasileira. Segundo a montadora, foram investidos R$ 100 milhões no projeto, que chegará ao mercado em 2022.

    “Destinamos cerca de R$ 100 milhões ao projeto do eO500U, dentro do atual ciclo de investimentos que soma R$ 2,4 bilhões no Brasil, de 2018 a 2022”, informa Karl Deppen, presidente da Mercedes-Benz do Brasil & CEO América Latina. O executivo lembra que a fábrica de São Bernardo do Campo (SP) “é Centro Mundial de Competência da Daimler para desenvolvimento de chassis de ônibus da marca. Ou seja, temos uma expertise sólida nesse segmento de veículos. Seguimos trabalhando para todos que movem o mundo. E com muita energia, estamos novamente fazendo história no Brasil”.

    Segundo o executivo, com essa novidade, a operação brasileira segue alinhada à estratégia global do Grupo Daimler de práticas de ESG (Enrivonmental, Social and Governance). “Esse é apenas o primeiro passo da Mercedes-Benz do Brasil rumo ao mundo da eletromobilidade”, afirma Deppen.

    Para Roberto Leoncini, vice-presidente de Vendas e Marketing Caminhões e Ônibus da Mercedes-Benz do Brasil, mais do que lançar um novo produto no Brasil, o chassi de ônibus elétrico representa um novo passo da companhia na direção de um ecossistema que inclui também serviços exclusivos e dedicados aos veículos elétricos. “Nessa entrada na era da eletromobilidade, daremos todo o suporte necessário para que os clientes trabalhem com total segurança em sua operação e em seus negócios”, afirma.

    Segundo Leoncini, além do mercado brasileiro, o novo chassis será ofertado em toda a América Latina e também em países da Europa e Oceania, atendendo às especificações de cada país, inserido no contexto de multissoluções globais da marca. “Além do elétrico, a Mercedes-Benz seguirá apostando em alternativas, como os biocombustíveis Biodiesel e HVO, que também podem auxiliar na redução de CO2. Além disso, o diesel, cujo uso é maioria em frotas no Brasil e no mundo, já vem apresentando alto potencial de melhorias em eficiência, consumo e redução de emissões”.


    Desenvolvido no Brasil e testado na Alemanha - Desenvolvido no Brasil, o chassi eO500U foi amplamente testado na Alemanha, onde contou com a expertise da Daimler em ônibus elétricos.

    O chassi eO500U é um modelo Padron 4x2 da consagrada linha O 500. Com piso baixo, poderá receber carroçarias de até 13,2 metros de comprimento. Sua autonomia chegará a 250 km, a maior entre ônibus elétricos no Brasil, além da maior capacidade de transporte de passageiros deste segmento.

    “O eO500U é uma solução que reforça o compromisso da nossa marca em oferecer uma alternativa sustentável para a mobilidade urbana aliada à eficiência tecnológica e econômica para as empresas de ônibus e gestores do transporte coletivo”, diz Walter Barbosa, diretor de Vendas e Marketing Ônibus da Mercedes-Benz do Brasil.

    Com motor elétrico integrado ao eixo traseiro, o eO500U virá equipado com freio eletrônico EBS e sistema de regeneração de energia. O trem-de-força trará para o motorista uma experiência nova de condução, ainda mais suave, confortável, além de totalmente silenciosa.

    O sistema de recarga das baterias é do tipo plug-in, no mesmo padrão tecnológico utilizado pela Daimler em seus ônibus elétricos, levando três horas de duração para a recarga completa. O painel de instrumentos é totalmente novo para se adequar às novas necessidades de controle e traz informações específicas do motor elétrico, das baterias e dos demais sistemas eletrônicos.

    “Esse é um grande marco histórico no desenvolvimento de chassis de ônibus que mostra a expertise da nossa equipe de Engenharia e Desenvolvimento. Estamos fazendo tudo isso com tecnologia de ponta e muito motivados pela paixão em atender a todas as necessidades do transporte de pessoas, contribuindo para a qualidade de vida nas grandes cidades, no Brasil e em outros países”, conclui Walter Barbosa.