São Paulo, 02 de Agosto de 2021

  • Notícias

    Iveco fecha semestre com alta acima da média do mercado


    (18/07/2021) - A Iveco fechou o primeiro semestre com crescimento nas vendas acima da média do mercado. No geral, a montadora cresceu 71% no período (acima de 3,5 t), enquanto a média do mercado ficou em 50%, também no segmento (acima de 3,5 t).

    No segmento de caminhões leves, a marca registrou alta de 47% no semestre, enquanto o mercado cresceu 33%. Nos médios o crescimeto foi de 70%, quase o dobro da média do mercado, que ficou em 37%; nos semipesados o aumento foi de 90% contra 54% da média do mercado. Nos pesados, o aumento foi ainda mais expressivo, 107%, enquanto a média do mercado ficou em 61%.

    “Com profissionais altamente qualificados, um portfólio completo e capilaridade nacional mantemos a operação crescendo e os clientes satisfeitos”, comentou Márcio Querichelli, líder da Iveco na América do Sul.

    O executivo destacou ainda que, neste segundo semestre, a montadora inicia nova etapa com a fase de testes de caminhões movidos a gás. “Junto de grandes parceiros vamos ‘preparar o terreno’ para que, em breve, a Iveco produza e comercialize veículos GNV no Brasil. Esse é um passo fundamental para mantermos nossos negócios alinhados com o futuro dos transportes: sustentabilidade + tecnologia = custo operacional”.

    “Os resultados do 1º semestre nos colocam em uma posição de destaque ainda maior no setor de transportes. Estamos no melhor momento desde 2014”, afirmou Ricardo Barion, diretor Comercial da montadora. Valem lembrar que a Iveco já vinha de um crescimento de 30% nas vendas no ano passado.

    De acordo com a montadora, no primeiro semestre, os destaques ficam por conta da liderança no segmento de chassi-cabine, que tem na Daily o principal player da categoria que atende o e-commerce, setor que registra alta demanda no país. “Nos médios e nos semipesados, a empresa teve crescimento considerável graças à versatilidade da linha Tector, que se destaca pela robustez e pelo baixo consumo de combustível. Já o crescimento no segmento de pesados, puxado pela força do agronegócio, demonstra que cada vez mais os clientes optam pelas linhas Hi-Road e Hi-Way pelo melhor custo total de operação (TCO) do mercado”.