São Paulo, 24 de Junho de 2021

  • Notícias

    Novas concessões podem gerar R$ 80 bilhões em 2021

    (09/05/2021) - O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, disse que as novas concessões de infraestrutura previstas até o final deste ano têm potencial para gerar R$ 80 bilhões. De acordo com o ministro, este montante representa mais de dez vezes o orçamento da pasta, que está na ordem de R$ 7 bilhões.

    A afirmação foi feita durante a “Paving Virtual”, evento online da área de infraestrutura viária e rodoviária, que se encerrou na última quinta-feira, 6. Ainda segundo Freitas, a expectativa do ministério é chegar ao final do próximo ano a R$ 260 bilhões com os leilões.

    “As transferências para a iniciativa privada começarão a pegar tração em 2023”, antecipou o ministro, para quem a partir de 2024 o Brasil voltará a ser um canteiro de obras, com projetos importantes em todos os modais de transporte.

    Freitas explicou que essa previsão se deve à própria natureza do mecanismo da concessão, que exige período para projeto, licenciamento ambiental e levantamento de crédito, dentre outros fatores.

    Ele citou que, em dois anos e cinco meses de governo, a pasta já concedeu 70 ativos à iniciativa privada, com geração de valor de, pelo menos, R$ 70 bilhões, graças aos modelos sofisticados de concessão utilizados pelo Brasil.

    “Os atuais contratos, por exemplo, contam com mecanismos financeiros que oferecem proteção e reduzem riscos cambiais, além das taxas de retorno que estão entre as melhores do mundo”, enumerou Freitas.

    O ministro destacou ainda que o Brasil é visto pelo mercado como um país que respeita contratos, exemplificando com a Via Dutra, concedida nos anos 1990 e cujo contrato foi respeitado mesmo com o país tendo passado por diversos governos desde então.

    O país também realizou, durante a pandemia, um reequilíbrio econômico-financeiro dos contratos, enquanto outros países se negaram a seguir por este caminho, levando para a arbitragem.

    “Isso explica também o sucesso dos leilões de aeroportos em abril”, sublinhou Freitas, que destacou ainda o movimento do Ministério da Infraestrutura para obtenção do Selo Verde nos projetos de infraestrutura, estruturando os projetos em termos ambientais, o que facilitará a obtenção do licenciamento.