São Paulo, 24 de Junho de 2021

  • Notícias

    Gerdau fecha trimestre com lucro de R$ 2,5 bilhões

    (09/05/2021) - A Gerdau encerrou o primeiro trimestre de 2021 com lucro líquido de R$ 2,5 bilhões, um recorde histórico. Já a sua receita líquida alcançou R$ 16,3 bilhões nos três primeiros meses do ano, um aumento de 77% sobre o mesmo período do ano anterior, com as vendas físicas de aço atingindo 3,1 milhões de toneladas, uma alta de 15%. Os dados foram divulgados em videoconferência na última quarta-feira, 05/05.

    Os resultados foram influenciados pelos crescentes níveis de consumo de aço nos países em que a Gerdau atua, principalmente pelo forte desempenho do setor de construção brasileiro e norte-americano. No Brasil, o Ebitda ajustado (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) foi R$ 4,3 bilhões com margem de 26,4%, outro recorde histórico. Já o Ebitda ajustado da Operação de Negócio América do Norte dobrou no 1T2021 na comparação anual, para R$ 843 milhões, atingindo margem de 14,3%.

    “A Gerdau obteve, no primeiro trimestre de 2021, um desempenho financeiro recorde em toda a sua série histórica, com destaque para o Ebitda ajustado de R$ 4,3 bilhões e para o lucro líquido ajustado de R$ 2,5 bilhões. Esses resultados refletem, além de um forte crescimento de demanda por aço em todos os países onde temos operações, a transformação cultural e digital pela qual a empresa vem passando ao longo dos últimos anos”, afirma Gustavo Werneck, CEO da Gerdau.

    Investimentos - No primeiro trimestre de 2021, a Gerdau investiu - globalmente - R$ 435 milhões em CAPEX. A previsão de desembolso de CAPEX para todo o ano representa investimentos da ordem de R$ 3,5 bilhões.

    No Brasil, como parte deste CAPEX global, a companhia está investindo R$ 1 bilhão na modernização e ampliação de suas operações de aços especiais, em alinhamento com a retomada dos setores automotivo e de máquinas e equipamentos. O aporte é direcionado às unidades produtoras de aço localizadas em Pindamonhangaba (SP), Charqueadas (RS) e Mogi das Cruzes (SP), que terá sua aciaria reativada no segundo semestre.

    A empresa anunciou a retomada das operações de produção de aço na sua unidade de Araucária (PR) no segundo semestre deste ano, reflexo do cenário positivo para a demanda por aço no Brasil, principalmente dos setores da construção civil, infraestrutura e indústria.

    Nos Estados Unidos, a empresa concluiu recentemente a modernização e atualização tecnológica do laminador de aços estruturais da unidade de Petersburg, estado da Virginia, com o objetivo de ampliar a oferta de produtos ao mercado.