São Paulo, 24 de Junho de 2021

  • Notícias

    Mercado de máquinas agrícolas abre 2021 aquecido


    (09/05/2021) - “O setor de máquinas agrícolas está bastante aquecido desde junho do ano passado”, afirmou Pedro Estevão Bastos, presidente da Câmara Setorial de Máquinas e Implementos Agrícolas (CSMIA) da Abimaq. De acordo com o executivo, o primeiro trimestre de 2021 “veio forte”, proporcionando uma alta no faturamento de 63% em relação ao registrado no mesmo período do ano passado.

    “É um aumento muito expressivo para o período”, considera. Em sua avaliação, a elevação do preço de commodities no mercado internacional, como soja e milho, aliado à alta do câmbio, promoveram o incremento da rentabilidade dos agricultores. Mais capitalizado, o agronegócio está investindo na atualização das máquinas.

    De acordo com Estevão, os fundamentos que possibilitaram esse crescimento se mantêm (soja e milho tiveram nova alta no mercado internacional), o que deve garantir a continuidade do aumento dos negócios para os fabricantes de máquinas agrícolas. “Enquanto os fundamentos permanecerem favoráveis, as vendas devem continuar fortes”, disse. Em sua opinião, esse movimento deve chegar até 2022.

    Estevão lembra que o faturamento mensal do setor nos três primeiros meses do ano, na faixa de R$ 2,4 bilhões, está num patamar similar ao registrado nos terceiro e quarto trimestres do ano passado. “Se esse volume for mantido ao longo do ano devemos crescer 20% em 2021”, diz, frisando que esse número vem se somar aos 18% de crescimento obtidos no ano passado. “Crescer 40% em apenas dois anos é um número muito positivo”.

    Estevão comentou ainda que o setor também tem sofrido com a falta de insumos e matérias-primas para a produção de máquinas, como aço, pláticos, borracha, assim como outros segmentos industriais. Porém, segundo ele, essas faltas até aqui não têm provocado a paralisação de fábricas, apenas têm obrigado os fabricantes a negociar com os os clientes e atrasar algumas entregas.