São Paulo, 24 de Junho de 2021

  • Notícias

    Mercedes completa 65 de Brasil investindo em inovação


    (02/05/2021) - Está em andamento na Mercedes-Benz - que está completando 65 anos de produção de ônibus e caminhões no Brasil - um programa de investimentos de R$ 2,4 bilhões para o quadriênio 2018/2022. O plano inclui a expansão dos investimentos em Indústria 4.0, além do desenvolvimento de novos produtos (caminhões e chassis de ônibus), produção do caminhão extrapesado Novo Actross e serviços de conectividade.

    Entre os anos de 2010 e 2017, a companhia investiu R$ 3,2 bilhões - nos últimos 13 anos, foram aportados R$ 5,6 bilhões. Outros R$ 90 milhões foram investidos no Campo de Provas de Iracemápolis e, em parceria com a Bosch, mais R$ 70 milhões (50% cada empresa) estão sendo aplicados na construção do Centro de Testes Veiculares.

    De acordo com Karl Deppen, presidente da Mercedes-Benz do Brasil e CEO América Latina, os investimentos tornam a empresa ainda mais preparada para atender os clientes, criando valor, qualidade, confiabilidade e eficiência. “E, assim, a torna mais moderna, competitiva e preparada para os novos tempos do País, como também a coloca em uma posição de vanguarda para enfrentar os desafios da mobilidade e da sustentabilidade. Assim, a Mercedes-Benz assume um papel preponderante no ecossistema do transporte responsável, estabelecendo compromisso com os clientes e parceiros e com a sociedade como um todo, para hoje e para o futuro”, destaca o executivo.

    Atuação no Brasil - A inauguração oficial da primeira fábrica da Mercedes-Benz do Brasil ocorreu em 28 de setembro de 1956. O primeiro caminhão (L 312, o “torpedo”) e o primeiro ônibus (chassi LP 312) produzidos no Brasil, em 1956, eram da marca Mercedes-Benz. Esse pionerismo é ainda mais significativo, por se tratar também dos primeiros veículos comerciais com motores a diesel, conceito trazido pela Empresa ao País.


    “O L 312 e o LP 312 saíram da linha de montagem da fábrica de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, dando impulso extraordinário ao desenvolvimento e à história da indústria automobilística nacional. Próxima dos 65 anos de atividades no País, a Mercedes-Benz é hoje a maior fabricante e exportadora de caminhões e ônibus da América Latina. E, dessa mesma fábrica, sai hoje o Novo Actros, primeiro produto da marca na era 4.0 e o caminhão mais inteligente, eficiente, conectado e seguro do mercado, agregando ainda mais eficiência e valor às operações dos nossos clientes”, informa a empresa.

    Atualmente, são quatro unidades no país: São Bernardo do Campo (SP), Campinas (SP), Juiz de Fora (MG) e Iracemápolis (SP). Desde a sua chegada ao país, a empresa comercializou 1.845.541 veículos comerciais - 1.342.274 caminhões e 503.267 ônibus.

    A planta de São Bernardo do Campo é a única a reunir a produção de caminhões, chassis de ônibus e agregados (câmbios, motores e eixos). Também abriga o Centro Regional Daimler América Latina, que representa as marcas da Daimler Truck&Buses na região, e o CDT (Centro de Desenvolvimento Tecnológico), o maior da Daimler fora da Alemanha para caminhões e chassis de ônibus, e o maior do segmento no Brasil.


    Iracemápolis é a sede do maior Campo de Provas do Hemisfério Sul, inaugurado em 2018, que é também o mais avançado e tecnológico do Brasil para caminhões e ônibus. Junto ao Campo de Provas de Iracemápolis, a Mercedes-Benz e a Bosch estão construindo um Centro de Testes Veiculares para caminhões, ônibus, automóveis, comerciais leves, motos e máquinas agrícolas.

    Fabricantes de veículos e de componentes do setor automotivo poderão locar a nova estrutura para seus desenvolvimentos. O Centro terá pistas para desenvolvimento de segurança veicular, eficiência energética e novas tecnologias de assistência ao condutor.

    Indústria 4.0 - Quase seis décadas e meia depois, a Mercedes-Benz do Brasil renova sua posição de pioneirismo: é a primeira Indústria 4.0 do setor de veículos comerciais no País. Em 2018, inaugurou a Linha de Caminhões 4.0 na planta de São Bernardo do Campo, seguida, em 2019, pela Linha de Cabinas e, em 2020, pela Linha de chassis de Ônibus. Em 2021, será a vez da Linha de Agregados 4.0 (motores, câmbios e eixos).

    O avanço dos conceitos da Indústria 4.0 coloca a Mercedes-Benz do Brasil num patamar ainda mais elevado de tecnologia, eficiência, produtividade e melhor ambiente de trabalho. Ela alcança, assim, um novo padrão mundial de qualidade e melhores práticas, estando totalmente preparada para o futuro e se tornando referência mundial.