São Paulo, 24 de Junho de 2021

  • Notícias

    Máquinas e equipamentos tem forte alta no trimestre


    (02/05/2021) - O setor de máquinas e equipamentos mantém a trajetória de crescimento iniciada no ano passado. O balanço de março, apresentado à imprensa na última quarta-feira, mostra que a receita líquida total cresceu 28% no primeiro trimestre, na comparação com o mesmo período de 2020, enquanto o faturamento no mês de março superou o de fevereiro em 18,9% e o de março de 2020 em 28,9%.

    Segundo a entidade, este ano já começou num patamar superior ao do ano passado, com um comportamento (a curva de crescimento) similar aos dos melhores anos do setor (2010 - 2013), ainda que num nível 23,6% menor.

    Em março, novamente, o principal destaque foi o mercado doméstico. As vendas internas deram um salto de 45,1% sobre março do ano passado e de 21.7% sobre fevereiro de 2021 e já respondem por 77% dos negócios do setor. No acumulado dos últimos 12 meses o crescimento é 18,9%, alguns pontos acima das previsões da Abimaq que, até o mês passado, estimava fechar o atual exercício com alta de 13,5%.

    Os setores que estão mais demandando máquinas e equipamentos são os de infraestrutura (máquinas rodoviárias), agronegócio (máquinas e implementos agrícolas), saneamento (bombas e válvulas), embalagens (máquinas para plástico) e ferramentarias (máquinas-ferramenta).

    O resultado só não é melhor devido à queda nas exportações, apesar do real desvalorizado, que ficaram 2,5% abaixo de março de 2020 e 8,5% acima de fevereiro de 2021. No acumulado dos últimos 12 meses, a retração é de 21,7%. Os destaques aqui são a recuperação das vendas para a América Latina, que está voltando a responder por mais de 40% das negócios externos de máquinas e equipamentos, e diminuição dos embarques para os EUA e Europa.

    Já importações cresceram tanto na comparação com março de 2020 (21,4%), quanto com fevereiro de 2021 (29,4%). Nos últimos 12 meses, porém, o número ainda é negativo em 17,4%. Aqui, o destaque é a China que passou a responder por 26,5% das importações de máquinas e equipamentos, com aumento de 42,5% no primeiro trimestre. Já as encomendas vindas dos EUA caíram, no mesmo período, 56,3%.

    Outra boa notícia é que o consumo aparente de máquinas e equipamentos está em alta. O indicador apresentou aumento de 28,5% na comparação com março do ano passado e de 26% em relação a fevereiro de 2021. No trimestre, o consumo aparente está 11% acima do mesmo período do ano passado.

    O nível de utilização da capacidade instalada (Nuci) do setor atingiu 76% em março A carteira de pedidos (medida em número de semanas para atendimento) registrou expansão (6,4%) na ponta e atualmente se encontra 26,3% acima do nível observado em março de 2020. O volume é equivalente a 12 semanas de carteira de pedidos. Segundo a entidade, “os dados até o mês de março indicam, no curto prazo, continuidade da expansão das atividades do setor”.