São Paulo, 18 de Abril de 2021

  • Notícias

    Produção industrial global caiu 4,1% em 2020


    (04/04/2021) - A virtual paralisia de várias economias do planeta devido à covid-19 foi a principal responsável pela queda de -4,1% na produção da indústria de transformação no mundo em 2020, segundo o último relatório da Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (Unido).

    A perda teria sido ainda maior não fosse a alta registrada no quarto trimestre de 2020, de +3,9% ante o trimestre anterior, e de +2,4% frente ao quarto trimestre de 2019, impulsionada pelos ramos de mais intensidade tecnológica.

    Este resultado também expressou os primeiros sinais de recuperação registrados no terceiro trimestre nas economias em desenvolvimento. Já os países industrializados, ao experimentarem uma nova onda de contaminações pela Covid-19 a partir de outubro, perderam dinamismo.

    A Unido ressalta que já em 2019 a indústria mundial apresentara desaceleração, especialmente devido ao menor dinamismo do comércio internacional, decorrente das tensões tarifárias entre China e Estados Unidos.

    A indústria manufatureira das economias industrializadas retrocedeu -6,5% em 2020 frente a 2019. A queda na Europa foi de -7,6% e na América do Norte de -6,7%, enquanto nas economias asiáticas a variação foi de -4,7%.

    A produção industrial chinesa, em contraste, cresceu +1,3% no ano passado. Já a indústria da América Latina aprofundou as perdas observadas em 2019, registrando -7,3% em 2020.

    O Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi) também elaborou um ranking internacional de crescimento da produção industrial no acumulado de 2020, a partir de dados da indústria de um conjunto de 42 países.

    Neste ranking, o Brasil ocupou uma posição intermediária, ficando na 21ª colocação, com recuo de -4,7%. Mesmo com o resultado negativo, a indústria brasileira ficou à frente de países como EUA (-6,6%), Espanha (-9,6%), Japão (-9,7%), França (-10,3%), Alemanha (-10,6%) e Itália (-11,0%).

    O Iedi observa, porém, que no caso do Brasil a deterioração do quadro sanitário veio a ocorrer agora em 2021, enquanto nos países industrializados ela teve início já em 2020. Isso pode fazer com que o Brasil desça alguns degraus do ranking nos próximos meses.