São Paulo, 18 de Abril de 2021

  • Notícias

    Mercedes-Benz vê melhores perspectivas em 2021


    (28/02/2021) - “Em função de uma melhor perspectiva em 2021, a Mercedes-Benz reafirma sua confiança no País, onde atua há quase 65 anos. Nesse sentido, a fim de atender às demandas dos clientes, estamos criando mais de 1.000 novos empregos para nossas fábricas de veículos comerciais, entre contratações temporárias e efetivações de aprendizes do Senai”, disse Karl Deppen, presidente da Mercedes-Benz do Brasil e CEO América Latina, ao apresentar os resultados de 2020 da subsidiária brasileira, na semana passada.

    “Mesmo com todos os desafios, vamos seguir com nossos planos”, completou, referindo-se à manutenção do plano de investimento de R$ 2,4 bilhões no Brasil até 2022. Desse total de recursos, programado para o período 2018-2022, R$ 1,6 bilhão já foram destinados à nova linha de produção de cabines de caminhões, à nova linha 4.0 de ônibus e para o desenvolvimento e produção da nova família dos extrapesados Actros.

    Dos R$ 800 milhões restantes, parte será destinada, ainda em 2021, para a continuidade da modernização das linhas de agregados (câmbio, motor e eixos) em São Bernardo do Campo (SP), também dentro dos conceitos da Indústria 4.0. Estão previstos ainda recursos para o desenvolvimento de novos produtos e serviços de conectividade até 2022.

    Brasil volta a ser o principal mercado de caminhões da marca - “Num ano atípico como 2020, fortemente impactado em todo o mundo pela pandemia do coronavírus, superamos os obstáculos e mantivemos a nossa marca no topo de vendas e de participação de mercado de veículos comerciais”, afirmou Deppen. “Com isso, o Brasil volta a ser o primeiro mercado do mundo para caminhões Mercedes-Benz, além de ser também o maior para ônibus da marca”.

    A Mercedes-Benz fechou 2020 na liderança das vendas de veículos comerciais no Brasil. Pelo 5º ano consecutivo, foi a marca que mais emplacou caminhões no País: 26.769 unidades, apenas 4% menos que as 27.994 unidades de 2019, o que representa 31,6% de market share. No segmento de ônibus, com 47% de participação, manteve sua tradicional liderança de 64 anos. De acordo com a montadora, estas posições estão sendo mantidas neste início de 2021.

    “Não deixamos de ampliar e modernizar nosso portfólio de produtos e serviços e isso fortalece ainda mais a confiança que os clientes têm na nossa marca e em todas as soluções que oferecemos a eles. Portanto, a liderança em vendas no ano de 2020 nos deixa motivados a buscar novas conquistas em 2021, que será ainda desafiador para todo o mundo e não só para o Brasil”, destacou Deppen.