São Paulo, 04 de Dezembro de 2020

  • Notícias

    Autopeças: cresce o uso da capacidade instalada


    (18/10/2020) - Após sete meses de pandemia, o setor de autopeças volta a registrar índices de ociosidade do parque industrial muito próximos aos do início de 2020. Em agosto, o segmento registrou 66% de utilização de sua capacidade produtiva, que em julho havia sido de 56%. O dado foi divulgado no Relatório da Pesquisa Conjuntural publicada mensalmente pelo Sindipeças - Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores.

    Na comparação entre os meses de julho e agosto, a utilização da capacidade da indústria de autopeças subiu exatos 9,16 pontos percentuais. Já na comparação anual (agosto 2019 - agosto 2020) o número é negativo em 6,58 p.p. No acumulado, de janeiro a agosto (2019/2020), foram a diferença é de 12,51 p.p.

    O faturamento líquido de agosto foi 18,24% maior do que em julho. As vendas para as montadoras cresceram 23,08% no mesmo período. Em relação ao mês de agosto do ano passado, houve retração de 12,70% nas vendas, queda que se torna ainda maior quando se trata do acumulado dos meses de janeiro a agosto de 2019 e 2020: 33,60%.

    Depois das vendas para montadoras, a exportação em reais é a que mais apresentou crescimento em agosto, 20,05%. No entanto, na comparação ao mesmo mês de 2019, é notada uma queda de 0,37%. No acumulado, o decréscimo é de 24,49%.

    As exportações em dólares cresceram 16,07%. Porém em relação ao mesmo período do ano passado houve retração de 26,67%. No acumulado de janeiro a agosto, mais uma queda: 40,84%, a segunda maior, apenas atrás das vendas para montadoras.

    O mercado de reposições cresceu 3,49% em agosto e 7,5% na comparação anual. No entanto, no acumulado houve queda de 9,94%. As vendas intrassetoriais aumentaram 13,59% em agosto, mas registrou quedas de 11,26% na comparação anual e de 29,08% no acumulado.

    A taxa de emprego nacional aumentou 0,97% em agosto. Frente ao mesmo mês de 2019, houve queda de 10,37% nos empregos do setor de autopeças. No acumulado, a queda apresentada foi um pouco menor, de 9,5%.

    O levantamento foi realizado com 60 empresas associadas ao Sindipeças, que representam 36,2% das vendas totais do setor no Brasil.