São Paulo, 04 de Dezembro de 2020

  • Notícias

    Buggy Power: 100% elétrico e (quase) 100% nacional


    (18/10/2020) - O Brasil deve se tornar o primeiro país do mundo a produzir um buggy 100% elétrico, e com praticamente 100% dos materiais e componentes feitos no país. O Buggy Power, veículo que está sendo desenvolvido por duas empresas da Região Sul, usará de material importado, no primeiro momento, apenas as células de íons de lítio das baterias.

    O projeto é fruto da parceria entre a startup paranaense eiON - que criou e está desenvolvendo o carro elétrico em Curitiba - com a gaúcha FuelTech, da área de motores veiculares, cuja sede fica em Porto Alegre.

    “O buggy é o que se pode chamar de mobilidade totalmente sustentável”, afirma o engenheiro eletricista Milton Francisco dos Santos Junior, fundador da eiON. “Traz diferentes tecnologias embarcadas, não emite gases poluentes e não tem ruídos”.

    De acordo com Santos, até a versão mais econômica do buggy elétrico já vem equipada com freios a disco nas quatro rodas, acelerador eletrônico, controle eletrônico de tração, sistema de frenagem regenerativa, bancos anatômicos e equipamento de segurança “santo antonio” inserido na carroceria.

    Os modelos mais exclusivos também contam com funções de conectividade por smartphone para compartilhamento e monitoramento remoto de última geração. Podem também ser fornecidos em conjunto com garagens solares e estações de recarga, num modelo de negócio que pode até mesmo gerar receitas financeiras para seus proprietários.

    O Buggy Power destaca-se também pela economia: pode rodar mais de 100 km com menos de R$ 9 e gera economia de mais de 70% no custo do quilômetro rodado quando comparado aos modelos à combustão.

    “As peças mecânicas são as mesmas já utilizadas em buggys tradicionais, o que facilitará eventuais consertos e trocas”, sublinha o CEO da FuelTech, Anderson Dick. “Já o powertrain, o motor elétrico e inversor e que é fornecido pela WEG, praticamente não gera manutenção”.

    A produção em escala comercial do Buggy Power deve ser iniciada em breve, com valores a partir de R$ 119 mil a unidade. Projetado inicialmente para atender resorts e locais voltados ao ecoturismo, o carro também pode ser utilizado na área urbana, na zona rural e no litoral.

    A eiON e a Fueltech são duas empresas que representam bem a face inovadora da indústria brasileira. A startup eiON nasceu em 2018 e foi acelerada no Centro de Tecnologia de Veículos Híbridos e Elétricos do Sistema da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), sediado em Curitiba, e também no Programa InovAtiva Brasil, do Ministério da Economia.

    Recentemente, a eiON - cujo nome é resultado da junção das iniciais das palavras elétrico, inteligente e online - ficou em 3º lugar no 1º Desafio Brasileiro de Inovação em Turismo, que teve mais de 790 projetos inscritos. A competição buscou soluções para a retomada do turismo brasileiro no período pós-pandemia por meio de projetos de base tecnológica.

    Já a FuelTech é especializada no segmento de tecnologia para alto desempenho de veículos a combustão, mas está de olho na tendência de eletrificação. Por isso, em junho deste ano, adquiriu a Energy Systems, especialista em converter carros com motores tradicionais em elétricos.