São Paulo, 13 de Agosto de 2020

  • Notícias

    Engenheiros europeus criam material que não pode ser cortado


    (26/07/2020) - Uma equipe de engenheiros ingleses e alemães anunciou ter criado o primeiro material que não pode ser cortado – batizado de “Proteus”, em homenagem ao deus grego que se metamorfoseava de maneiras diferentes para se defender de ataques.

    Segundo publicado na revista Nature, por Pesquisadores da Universidade de Durham, na Inglaterra, e do Instituto Fraunhofer, na Alemanha, o Proteus foi fabricado com esferas de cerâmica industrial de alumina sobre uma matriz de espuma metálica, também de alumínio, dentro da técnica do biomimetismo, que aplica em produtos e tecnologias as estruturas da natureza, segundo publicação na revista Nature.

    De acordo com Stefan Szyniszewski, professor da Universidade de Durham, o material reproduz a pele celular da toranja, muito resistente, e as conchas dos moluscos abalone, formadas por elementos que parecem ladrilhos interligados a um material plástico natural - um biopolímero -, que os torna resistentes a fraturas.

    "Ficamos intrigados com o jeito que a estrutura celular da toranja e a estrutura de azulejos das conchas dos moluscos impedem danos às frutas ou às criaturas no seu interior, apesar de serem feitas de blocos orgânicos relativamente fracos”, explica.

    Segundo o engenheiro, o conjunto de esferas duras e o material plástico formou um sistema dinâmico, com uma estrutura interna que cria movimentos de alta velocidade, resultando em uma interação com as ferramentas de corte - resposta dinâmica que é similar à apresentada pelas estruturas vivas.

    Nos testes, quando cortadas com um disco abrasivo ou uma broca, as vibrações criadas pelas esferas de cerâmica no interior do material embotaram as ferramentas. Nem potentes cortadores de jato de água, usados para cortar granitos em pedreiras, deram resultado.

    Um disco de corte novo, medindo 62 mm, ficou reduzido a 22 mm em 65 s, depois de fazer apenas uma pequena incisão no material metalocerâmico. A única estrutura comparável em dureza no mundo natural é o diamante, um material que é também muito mais caro.

    Szyniszewski e colegas acreditam que o material à prova de corte poderá ser usado para produzir correntes e cadeados que realmente garantam a segurança, além de equipamentos de proteção mais eficientes para aqueles que trabalham com ferramentas de corte ou similares. O material estará disponível no mercado assim que surgirem interessados na indústria.

    Fontes: Inovação Tecnológica / Mundo Conectado / Nature (https://www.nature.com/articles/s41598-020-65976-0)