São Paulo, 20 de Setembro de 2020

  • Eventos

    Feimec 2020 é cancelada; Agrishow é adiada para 2021


    (10/06/2020) - Após um período de negociações, iniciadas logo após a confirmação da chegada da pandemia de Covid-19 ao País, organizadores e expositores das feiras industriais Feimec e Agrishow chegaram a um acordo sobre novas datas para a realização destes eventos, que estavam previstos para acontecer em maio e abril deste ano, respectivamente. Assim, ficou definido que a Feimec 2020 está cancelada, enquanto a Agrishow foi adiada para 26 a 30 de abril de 2021 - o que equivale ao cancelamento da edição deste ano, já que nesta data deveria estar sendo realizada a 28ª edição.

    FEIMEC - A Informa Markets, promotora dos eventos, explica que vinha avaliando todas as possibilidades para a realização da Feimec ainda em 2020. “Mas a Feimec possui uma estrutura complexa”, diz o comunicado oficial. “São mais de 1.000 marcas expositoras, sendo que boa parte dos equipamentos expostos são de grande porte, têm preparo complexo ou utilizam vários componenetes importados, o que demanda grande tempo de preparação, desde a disponibilização dos equipamentos nas fábricas até seu transporte e montagem no local do evento”.

    Além disso, prossegue o comunicado, conforme as novas diretrizes do Governo do Estado de São Paulo em relação à reabertura gradual dos negócios, o período de montagem exigiria bem mais do que o tempo habitual de execução.

    “Diante deste cenário, a Informa Markets, organizadora do evento, juntamente à Abimaq - Associação Brasileira de Máquinas e Equipamentos, comunicam que a 3ª edição da feira será realizada em 2022 em data já confirmada, de 3 a 7 de maio, em São Paulo”.

    Não custa lembrar aqui que, em maio de 2021, já estava prevista a realização de outro evento organizado pela Informa Markets e a Abimaq, a Expomafe, que reúne vários segmentos da cadeia metal-mecânica, a exemplo da Feimec.

    AGRISHOW - Idênticos motivos levaram ao adiamento da 27ª edição da Agrishow. A Informa Markets comunicou oficialmente que a nova data foi definida após a divulgação das diretrizes do Governo do Estado de São Paulo e da Prefeitura de Ribeirão Preto em relação à abertura gradual dos negócios e realização de grandes eventos, os quais demandam tempo de preparação, planejamento e, muitas vezes, liberação alfandegária.

    De acordo com informe enviado à imprensa, outros dois fatores complementares foram analisados. O primeiro é o extenso e complexo período de montagem da feira, que geralmente leva cerca de 40 dias. O segundo foi a avaliação do cronograma de reabertura das atividades econômicas da Prefeitura de Ribeirão Preto, cuja análise aponta que só seria possível realizar a feira na semana de 17 de agosto, desde que não houvesse nenhum retrocesso no calendário devido ao aumento de casos de Covid-19 na região ou o comprometimento do número mínimo de leitos disponíveis, que são variáveis incontroláveis.