São Paulo, 22 de Outubro de 2020

  • Notícias

    WHB Automotive pretende investir na produção de CGI

    (16/02/2020) - Atenta ao mercado de produção de ferro grafite vermicular (CGI) no Brasil, a fornecedora de componentes automotivos WHB Automotive recentemente realizou testes com uso de tecnologia de controle do processo SinterCast.

    Nos anos de 2018 e de 2019, a WHB fez propostas comerciais de blocos em CGI para seis potenciais clientes (mantidos em sigilo). Metade destes clientes solicitaram alguns testes para comprovar a capacidade da empresa de produzir a liga metálica. “Então, fizemos um acordo com a SinterCast para instalar os equipamentos na WHB Automotive, em Curitiba, para a realização de testes”, detalha José Cláudio Macedo Cardoso, diretor de Fundição de Ferro da WHB.

    No final do ano passado, a Sintercast instalou um sistema de controle de processo System 4000 (lançado na GIFA 2019) na fundição da WHB. Os testes - realizados em dezembro, por duas semanas - permitiram que a companhia estabelecesse um processo robusto de produção de CGI. “Em dezembro planejamos e executamos, com sucesso, testes em um cabeçote e um bloco. Neste mês (fevereiro), vamos divulgar os resultados para estes clientes”, diz Cardoso.

    O valor investido para os testes não foi divulgado. Porém, a WHB informou ao Usinagem Brasil que arcou com todas as despesas de transporte e instalação do System 4000, matéria-prima e materiais auxiliares utilizados.

    A intenção da WHB é adentrar o mercado de CGI como uma alternativa aos atuais players. A meta da empresa é obter, ainda em 2020, pelo menos dois grandes pedidos de blocos e cabeçotes. A WHB irá concorrer diretamente com a Tupy que, em dezembro passado, anunciou a compra da Teksid Fundição de Ferro. “Atualmente, somos as únicas empresas com capacidade de produzir CGI no Brasil”, destaca o diretor.

    O inicio da produção vai depender das negociações com os clientes, mas a previsão é que aconteça no segundo semestre de 2021. Segundo o diretor de fundição, o ano de 2019 foi de muito desenvolvimento, de clientes e de novas peças. “Embora tenhamos mantido uma estabilidade de faturamento em relação ao ano anterior, as perspectivas são muito boas, pois foram fechados bons negócios que passarão a gerar frutos a partir deste ano de 2020, assim como em 2021 e 2022”, conclui Cardoso.