São Paulo, 23 de Fevereiro de 2020

  • Notícias

    Siemens irá fabricar transformadores digitais para a Casa dos Ventos

    (09/02/2020) - A Siemens assinou memorando de entendimento com a Casa dos Ventos, empresa da área de energia, para a entrega dos primeiros transformadores do país a conectarem digitalmente os ativos de um parque eólico, no caso o Parque Rio dos Ventos II, localizado no Rio Grande do Norte e cuja capacidade é 504 megawatts. A entrega dos equipamentos está prevista para o próximo mês de agosto.

    O grande diferencial dos transformadores digitais da Siemens está na função Sensformer Advanced, que simula virtualmente os equipamentos para coletar e analisar parâmetros operacionais para gerar eficiência energética de forma segura, graças a recursos de conectividade capazes de medir em tempo real conjuntos definidos de dados.

    “Por meio de um aplicativo de conexão sem fio, os dados do transformador e da rede se tornam transparentes para o operador, o que auxilia na otimização de processos e garante maior confiabilidade através da identificação de riscos potenciais”, explica Danilo Bezerra, CEO da área de Transformadores da Siemens no Brasil.

    As duas companhias também firmaram uma parceria com o objetivo de desenvolverem conjuntamente soluções específicas para atender as particularidades do processo de geração de energia da Casa dos Ventos, de modo a aumentar os ganhos de eficiência e reduzir custos.

    Há mais de dez anos no mercado, a Casa dos Ventos é hoje uma das maiores investidoras no desenvolvimento de projetos eólicos no país. Além de ter desenvolvido aproximadamente 30% de todos os empreendimentos em implantação ou operação no país, a companhia é detentora do maior portfólio de projetos eólicos do Brasil, distribuídos pelos estados do Ceará, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Paraíba, Bahia e Piauí.

    O complexo eólico Rio do Vento é um dos seus projetos mais ambiciosos. Com início de operação prevista para julho de 2021, possuirá 120 aerogeradores em uma área total de quase 7 mil hectares. Considerado um dos maiores projetos eólicos do mundo, o complexo evitará que cerca de 1 milhão de t de CO2 sejam lançadas anualmente na atmosfera, o equivalente ao plantio de 6 milhões de árvores.


    Voltar