São Paulo, 27 de Setembro de 2020

  • Notícias

    Produção de fundidos tem leve alta em 2019

    (09/02/2020) - Dados divulgados pela Abifa - Associação Brasileira de Fundição apontam que a produção brasileira de peças fundidas aumentou 0,8% em 2019, totalizando 2,28 milhões de toneladas. O crescimento é registrado pelo terceiro ano consecutivo, com as variáveis de 8,8% em relação a 2016 e 6,5% sobre 2017.

     O ferro fundido liderou a produção do setor (1,84 milhão t), seguido do aço (259, 2 mil t) e dos metais não ferrosos (192 mil t). Em relação a 2018, o maior crescimento foi o do aço (+6,6%), seguido do ferro fundido (+0,5%). Já a produção de fundidos em metais não ferrosos caiu 3,7%.

    O mercado interno foi responsável pela alta da produção de fundidos em 2019, com aumento de demanda de 1,6% sobre 2018. No total, 1,92 milhão de toneladas foram comercializadas no país. Na contramão, as exportações caíram 3,6% em peso (364,1 mil t) e 4,1% em valor (US$ 728,1 M).

    Em 2019, para atender à demanda de peças fundidas, o setor empregou 55.002 profissionais. Com isso, em dezembro a sua produtividade alcançou 40,9 t/h.a.

    Segundo ranking da revista Modern Casting (data-base dezembro de 2018), o Brasil passou da 10ª para a 9ª posição entre os produtores mundiais de fundidos, atrás da China, Índia, Estados Unidos, Japão, Alemanha, Rússia, México e Coreia do Sul.

    Perspectivas - Afonso Gonzaga, presidente da Abifa, acredita que o setor pode crescer entre 5,5% e 6% este ano, com a manutenção da capacidade instalada em 4 milhões de toneladas anuais. A projeção da entidade é de crescimento gradativo da demanda, atingindo 3,2 milhões de toneladas em 2023.