São Paulo, 15 de Novembro de 2019

  • Notícias

    Marcopolo se mantém em alta, mesmo com queda nas exportações

    (10/11/2019) - Apesar do recuo de 22% no volume de exportações, a Marcopolo manteve a trajetória de crescimento nos nove primeiros meses de 2019, devido às vendas para o mercado brasileiro terem aumentado substanciais 16,9% na comparação com o mesmo período do ano passado.

    Por conta disso, a receita líquida consolidada foi de R$ 3,121 bilhões, com crescimento de 5,5% diante do mesmo período de 2018 (R$ 2,957 bilhões). Já o lucro líquido foi 18,2% maior, R$ 140,7 milhões, contra R$ 119 milhões. A receita das exportações, contudo, caiu de R$ 888,0 milhões para R$ 692,5 milhões no período.

    A produção de ônibus urbanos nos primeiros nove meses deste ano foi de 4.798 unidades, contra 4.883 no mesmo período de 2018. O maior volume de vendas foi registrado em São Paulo. Na área de micro-ônibus, houve leve crescimento dos volumes, com 1.870 unidades diante de 1.828 unidades no ano passado.

    O destaque positivo ficou por conta da unidade de negócios Volare, hoje a marca líder nacional no segmento de veículos até 10 mil kg. “A unidade registrou crescimento de 11,1%, com 2.026 veículos fabricados, contra 1.824 no ano anterior”, diz José Antonio Valiati, CFO e diretor de relações com investidores da Marcopolo.

    Já no segmento de ônibus rodoviários houve retração de 3,24%, com 3.105 unidades contra 3.209 do ano anterior, decorrente da forte base de comparação estabelecida no terceiro trimestre de 2018, gerada pela antecipação de compras devido à entrada em vigor da norma de acessibilidade nesses modelos no mês de outubro.

    As perspectivas da companhia para o último trimestre do ano são positivas. No mercado interno, o ambiente está propício para a renovação de frotas e a realização de investimentos em transporte público de qualidade. A taxa básica de juros, hoje no seu menor nível histórico, e a retomada da economia, são outros fatores positivos.

    No mercado externo, apesar do fraco desempenho na Argentina, Chile e no continente africano, as unidades da Marcopolo instaladas no México, Colômbia e Austrália demonstram ter pela frente cenário promissor. Na reestruturada unidade australiana, já foi reportado lucro de R$ 4,8 milhões no terceiro trimestre deste ano.


    Voltar