São Paulo, 15 de Novembro de 2019

  • Notícias

    Ford encerra produção no ABC sem encontrar comprador


    (03/11/2019) - Após 52 anos, a Ford encerrou as operações da fábrica de São Bernardo do Campo (SP) na semana passada, com a produção das últimas 15 unidades dos caminhões Cargo e F-4000. O acordo firmado com o Grupo CAOA, em setembro, ainda não foi concretizado, mas as negociações prosseguem de acordo com ambas as empresas. A compradora, porém, estaria encontrando dificuldades para obter o financiamento, de cerca de R$ 1 bilhão, para a aquisição.

    Segundo algumas publicações, a solicitação feita ao BNDES teria sido negada. O banco estatal, que confirma ter se reunido com o Grupo CAOA, informou em nota que “não houve formalização de nenhuma proposta de financiamento e a empresa [CAOA] não possui operação com o banco”.

    “O futuro para que parte dos trabalhadores continue nesta planta depende de decisão política exclusiva do BNDES”, disse Wagner Santana, presidente do Sindicato dos Metalúgicos do ABC, durante a última assembleia realizada na fábrica, na quarta-feira, 30. O sindicato já teria solicitado uma audiência junto ao BNDES, com o objetivo de obter a liberação do financiamento para efetivação da compra da planta da Ford.

    Com o fechamento da linha de caminhões, 650 trabalhadores serão demitidos. Em julho, quando foi encerrada a produção do Fiesta, outros 750 trabalhadores já haviam sido dispensados.

    O governador de SP, João Dória, que fez várias gestões para encontrar um comprador para a fábrica, disse ao jornal Diário do Grande ABC que, embora existam algumas dificuldades, ainda acredita que um entendimento entre Ford e CAOA possa ser concluído. Ainda segundo o jornal, o governador teria dito que, caso a negociação não se concretize, havia a possibilidade de entrada no negócio de fabricantes chineses. “A viagem que nós fizemos à China em agosto nos deu boas perspectivas de trazer novos fabricantes para o Brasil. E eu posso dizer a vocês que pelo menos um fabricante virá a São Paulo e, talvez, até dois”, comentou.

    52 ANOS - A fábrica de São Bernardo do Campo foi adquirida pela Ford há 52 anos, quando da incorporação da Willys Overland do Brasil. Lá foram produzidos vários modelos que marcaram a indústria automobilística brasileira, incluindo o primeiro carro de projeto global a chegar ao Brasil, o Ford Escort, além dos modelos Galaxie, Corcel, Del Rey, Pampa, Ka e Fiesta.

    Na unidade do Taboão, como é conhecida, além de automóveis, foram produzidos motores, tratores e, em 2001, passou a abrigar a fábrica de caminhões, transferida da antiga unidade do bairro do Ipiranga, na capital paulista.

    “Em nome da Ford Motor Company, quero agradecer aos funcionários de São Bernardo pelo seu profissionalismo e dedicação durante vários anos”, disse, em nota, o presidente da Ford América do Sul, Lyle Watters. “Mesmo após o anúncio feito em fevereiro, eles nunca deixaram de cumprir com suas obrigações, produzindo produtos de altíssima qualidade e cuidando da segurança.”

    O anúncio do fechamento da fábrica foi feito em fevereiro deste ano. Segundo a montadora, a a decisão de encerrar as operações da fábrica de São Bernardo foi tomada pela matriz e estava “em linha com a decisão de sair do segmento de caminhões na América do Sul”.


    Voltar