São Paulo, 23 de Setembro de 2019

  • Notícias

    Scania produzirá no Brasil caminhões movidos a biometano

    (08/09/2019) - A Scania vai começar a produzir no Brasil, já no primeiro trimestre de 2020, caminhões movidos a biometano - biocombustível gasoso obtido a partir do processamento do biogás. A produção do caminhão na fábrica de São Bernardo do Campo (SP) é resultado de um investimento da Scania de R$ 21 milhões, e faz parte do seu plano de aporte de R$ 2,6 bilhões no país entre 2017 e 2020.

    O biometano será produzido pela ZEG, empresa dedicada à geração de energia renovável e com a qual a Scania firmou parceria. Produzido de forma descentralizada em fábricas de médio porte, o insumo pode ser utilizado em qualquer dispositivo abastecido com gás natural, como veículos e equipamentos industriais e agrícolas.

    A Scania não revela quantas unidades serão produzidas inicialmente, mas adianta que a ideia é aumentar o volume aos poucos, conforme a demanda. De seu lado, a ZEG já está mantendo conversas com três grupos frotistas para que utilizem o caminhão movido a biometano. Somados, esses grupos contam com uma frota de 300 a 400 veículos pesados. O agronegócio é o principal mercado em vista.

    O caminhão será, por conta da nova tecnologia empregada, 30% mais caro que o tradicional. No entanto, o custo de manutenção será 10% menor. “Assim, quem comprar o caminhão movido a biometano levará dois anos para compensar o preço mais alto de compra”, diz Christopher Podgorski, presidente da Scania no Brasil. “Depois desse período, é só ganho”.

    Os compradores terão a opção de utilizar postos de abastecimento instalados pela ZEG, caso fechem um contrato com a empresa de energia. A ZEG se propõe a instalar o posto em local combinado com o comprador.

    Segundo Podgorski, o começo da produção desses caminhões no Brasil segue um movimento iniciado pela montadora sueca na Europa há dois anos. Em 2018, foram vendidos 4.540 veículos comerciais movidos a combustíveis alternativos, o equivalente a 4,5% de todas as vendas da marca no mundo.

    A ideia da empresa é de contribuir diretamente, com este tipo de veículo, para a redução da emissão dos gases do efeito estufa. Hoje, praticamente todos os caminhões vendidos no Brasil são movidos a diesel.


    Voltar