São Paulo, 23 de Setembro de 2019

  • Notícias

    Produção de caminhões em agosto é a maior desde 2014


    (08/09/2019) - A produção de caminhões foi o principal destaque do balanço da indústria automotiva no mês de agosto. Segundo a Anfavea, a produção destes dois segmentos no mês passado foi a maior desde dezembro de 2014. “Mais uma vez, o segmento de caminhões se destacou com uma alta de 13,1% na produção acumulada, sinalizando a recuperação da atividade econômica no Brasil”, afirmou o presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes.

    No mês de agosto a produção totalizou 9,7 mil unidades, número 1,7% menor que a de julho (que teve maior número de dias úteis), mas superou em 10,7% a marca registrada em agosto do ano passado. No ano já foram produzidos 77 mil caminhões. Para a entidade, o resultado é ainda mais expressivo se levado em conta que as exportações de janeiro a agosto, comparadas ao mesmo período do ano passado, caíram 52,6%.

    As exportações de ônibus também recuaram, mas num volume menor, 18,1%, pois este segmento é menos dependente das vendas à Argentina. Entre janeiro e agosto foram exportadas 4,7 mil unidades. No ano, a produção de chassis de ônibus somou 19.370 unidades, 6,9% menor que as 20.801 produzidas no mesmo período de 2019.

    VEÍCULOS - No total, a produção de veículos de janeiro a agosto somou 2,01 milhões, número 2% acima do mesmo período de 2018. Em agosto, na comparação com julho, a alta foi de 1,1%. As vendas no acumulado do ano totalizam 1,79 milhão de unidades, 9,9% acima das 1,63 milhão do mesmo período de 2018.

    Para Moraes, esta alta de 9,9% nas vendas no acumulado do ano é um crescimento importante. “Acreditamos que o segundo semestre pode continuar num ritmo bom, considerando a redução da taxa de juros, o apetite maior dos bancos em fazer financiamentos e a liberação do FGTS que vai injetar 30 bilhões de reais na economia”, disse, acrescentando que “vemos com otimismo moderado a possibilidade de o mercado interno continuar neste ritmo, atingindo assim a previsão de crescimento da Anfavea de 11% em 2019”.


    Voltar