São Paulo, 23 de Setembro de 2019

  • Notícias

    CAOA oficializa intenção de compra da fábrica Ford no ABC


    (04/09/2019) - Após cerca de sete meses de negociações, CAOA e Ford chegaram a um entendimento sobre a venda das instalações da empresa norte-americana em São Bernardo do Campo (SP). Os presidentes da Ford América do Sul, Lyle Watters, e do Grupo CAOA, Carlos Alberto de Oliveira Andrade, se reuniram com o governador João Doria na tarde de ontem (3 de setembro), no Palácio dos Bandeirantes, para anunciar a decisão.

    Em entrevista coletiva, o governador explicou que a “boa notícia” será dada em duas partes. A primeira, o anúncio do fechamento do acordo, que estava sendo realizada naquele momento. E a segunda, daqui a 35 ou 45 dias, após um processo de Due Diligence (*), quando o acordo final deve ser formalizado.

    Na entrevista coletiva não foram informados os valores envolvidos na transação. Em resposta à pergunta de um jornalista, o presidente da CAOA informou que a fábrica de São Bernardo não necessita de investimentos para ampliação ou modernização, já que é “ampla o suficiente (tem cerca de 600 mil m² de área construída) e conta com equipamentos excelentes, novos e que podem ser utilizados para produzir qualquer tipo de veículo. O objetivo é torná-la viável, lucrativa e produtiva”, disse.

    Respondendo a outro questionamento, Andrade afirmou que não existe intenção de transferir a fábrica de Anapólis (GO) para o ABC. “Ao contrário, nós temos planos de crescimento para essa fábrica, que deve passar a produzir, entre 2020 e 2021, três novos veículos”.

    O executivo adiantou ainda que em São Bernardo serão produzidos veículos de outra marca, da China, sem informar qual. “Com quem os entendimentos já estão bem adiantados”.

    A CAOA - que produz veículos da Hyundai em Anapólis e da CAOA Chery, em Jacareí (SP) - também é concessionária da Ford há mais de 40 anos. Segundo comentários de sindicalistas, a Ford irá encerrar suas operações produtivas no ABC em outubro, quando a CAOA deve assumir a fábrica. A princípio, a CAOA deve continuar fabricando os caminhões da Ford, sob licença e com pagamento de royalties.

    Ainda segundo os sindicalistas - que aliás se reuniram com a direção da CAOA no dia anterior ao anúncio no Palácio dos Bandeirantes -, a nova proprietária da fábrica deve contratar 750 funcionários. Essas vagas serão disputadas pelos cerca de 600 funcionários que ainda estão produzindo caminhões na Ford ABC e trabalhadores dispensados pela montadora nos últimos meses.

    (*) “Due Diligence, que pode ser traduzido para o português como diligência prévia, refere-se ao processo de estudo, análise e a avaliação detalhada de informações de uma Empresa alvo da negociação, geralmente chamada de Target, visando a identificação de eventuais distorções relevantes, decorrentes das práticas empresariais”, na definição da consultora tributária Samira Souza.


    Voltar