São Paulo, 25 de Maio de 2019

  • Notícias

    Produção de veículos fica estável em abril


    (12/05/2019) - A produção de veículos no último mês de abril praticamente repetiu os resultados do mesmo mês de 2018, de acordo com a Anfavea. Foram fabricados 267.546 carros, veículos comerciais leves (picapes e furgões), caminhões e ônibus. Em abril do ano passado, foram produzidas 266.140 unidades.

    O número representa elevação de apenas 0,5% em comparação com abril de 2018. Já no acumulado de 2019, foram produzidos 965.393 veículos, diante dos 965.894 fabricados nos quatro primeiros meses de 2018, ligeira queda de 0,1%.

    Isoladamente, a produção de caminhões teve o melhor desempenho. Subiu em abril deste ano para 9.412 unidades, contra as 9.095 de um ano antes, aumento de 3,5%. No acumulado do ano, houve alta de 1,9%, de 33.529 para 34.173 unidades.

    Já as vendas de veículos novos surpreenderam positivamente. Subiram 6,7% em abril deste ano diante de abril de 2018. Somaram 231.952 unidades vendidas, segundo a Fenabrave, a associação das concessionárias.

    No acumulado dos primeiros quatro meses do ano, os emplacamentos de novas unidades totalizaram 839,5 mil, uma alta de 10,1% em relação ao mesmo período do ano passado.

    As exportações continuam mal, sobretudo devido à crise argentina: em abril a retração ficou em 52,3% em comparação com o mesmo mês do ano passado, com a exportação de 34,9 mil veículos.

    No acumulado de janeiro a abril, foi registrada queda de 45%, com a comercialização de 139,5 mil unidades no mercado externo. No mesmo período do ano passado, as vendas para o exterior totalizaram 253,4 mil veículos.

    “As montadoras estão tentando buscar outros mercados para compensar as perdas na Argentina", disse o presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes. Segundo ele, a expectativa é de se produzir no país 500 mil veículos para exportação neste ano.

    Para a Anfavea, os números, vistos em conjunto, não são ruins, e indicam que o segmento vem se recuperando gradualmente. A entidade aponta que os números representam uma recuperação, uma vez que a base anterior era baixa.

    De qualquer forma, a oferta de empregos pelo setor continua anêmica. O nível de emprego nas montadoras instaladas no Brasil teve retração de 1,2%, com 130,15 mil pessoas trabalhando no setor em abril.


    Voltar