São Paulo, 18 de Abril de 2019

  • Notícias

    VSK montará fábrica de veículos militares na Bahia?


    (14/04/2019) - A VSK Tatical, subsidiária da norte-americana Von Suckow Tatical (VST), especializada em assessoria militar e segurança, anunciou que iria investir R$ 200 milhões na montagem de uma fábrica de veículos militares na Bahia. Os veículos da marca Jeep seriam montados sobre módulos do Jeep Renegade. O anúncio foi feito no início deste mês de abril, durante a Feira de Internacional de Defesa (LAAD Defence & Security 2019), no Rio de Janeiro.

    Em seguida ao anúncio, a FCA (Fiat Chrysler Automobile), que produz o Renegade em Goiana (PE), se apressou em negar conhecimento do projeto. Posteriormente, Marcellus Ferreira Pinto, presidente executivo da VSK Tatical no Brasil, informou que, na verdade, os veículos serão montados sobre módulos do Jeep Wrangler ou o J8 e que a parceria seria com a montadora americana JGMS (Jeep Government and Military Sales), que segundo ele seria ligada ao Departamento do Estado, e com AADS - Africa Automotive Distribution Services, que possui os direitos de distribuição dos veículos.

    Parece bastante confuso, não é? (A confusão fica ainda mais evidente na matéria publicada no site da revista AutoEsporte, veja aqui).

    No entanto, a VSK Tatical informa é que a unidade será implantada em até 10 meses e terrenos nas cidades de Camaçari, na Grande Salvador, e Feira de Santana, a 116 km da capital, estão sendo analisados para sediar a fábrica, que irá gerar 50 empregos diretos e 200 indiretos.

    A produção inicial será de 60 veículos por mês. O modelo J8, disponível em seis configurações diferentes. “A ideia é produzir veículos para as Forças Armadas, polícias civis e militares e também para órgãos de fiscalização, como o Ibama”, disse Ferreira Pinto.

    De acordo com o executivo, essas instituições têm forte demanda por veículos deste tipo, que hoje só pode ser atendida via importação. Os próprios J8 são hoje importados, com a entrega sendo feita em 20 ou 30 dias. A intenção dos parceiros do empreendimento é aumentar a margem de lucro com a produção nacional. A versão brasileira já teria sido homologada pelo Centro de Avaliações do Exército (CAEx).

    A VSK Tatical também anunciou o interesse de criar um polo técnico-militar nas proximidades da fábrica, em um prazo relativamente curto. Já teriam confirmado participação uma fábrica de armas, outra de nanotecnologia militar e uma segunda montadora, voltada à produção de veículos blindados pesados. Há ainda duas outras empresas interessadas: uma fabricante de munições e outra produtora de armas.

    Na corrida entre Camaçari e Feira de Santana para receber a fábrica, a primeira é, aparentemente, a favorita, por conta da presença de um polo industrial na cidade, o que daria maior estrutura para a fábrica. O polo também possui áreas autorizadas pela Assembleia da Bahia para a cessão e atração de investimentos. Dois terrenos do local poderiam ser destinados para a montadora, isto segundo as informações da VSK Tatical. No entanto, estas informações não puderam ser confirmadas nem no site do governo do Estado, nem no das prefeituras envolvidas. Neles, não há qualquer citação a este projeto.


    Voltar