São Paulo, 15 de Dezembro de 2018

    Notícias

    Para a Caterpillar, mudar estrutura tributária devia ser prioridade


    (02/12/2018) - O presidente da Caterpillar Brasil, Odair Renosto, disse, durante a M&T Expo 2018, realizada de 26 a 29 de novembro, em São Paulo, acreditar que muitos projetos privados e governamentais represados na área de infraestrutura deverão ser tirados do papel já em 2019, e que a companhia, maior fabricante mundial de máquinas para construção civil, agricultura e mineração, está preparada para o provável aumento da demanda.

    “Temos várias linhas de equipamentos, capazes de atender todo tipo de necessidade”, afirmou Renosto. “E não paramos de lançar novos produtos, na maioria das vezes a partir das necessidades apresentadas a nós pela clientela”, acrescentou, apostando que o ano de 2019 será, para o setor de construção, muito melhor do que este ano, que por sua vez já trouxe um quadro bem mais favorável do que o de 2017.

    Renosto, no entanto, acha que não é hora apenas de o Brasil voltar a investir com ênfase em infraestrutura. Ele também fez severas críticas à estrutura tributária do país, caracterizada por uma miríade de diferentes legislações locais que criam um emaranhado de tributos ruins de destrinchar. “É difícil até precificar”, reclamou. “Uma reforma tributária deveria estar entre as grandes prioridades deste futuro governo”.

    A Caterpillar levou várias novidades para a M&T Expo 2018, dentre as quais um dos destaques foi uma nova escavadeira de linha Next Generation, quase totalmente redesenhada, tendo recebido muitas melhorias tecnológicas. Na verdade, é quase como se ela fosse uma nova máquina. Há planos de expandir o conceito da Next Generation para outras famílias de máquinas, como tratores de esteira.

    A empresa também apresentou as motoniveladoras de sua marca SEM, de tecnologia simplificada, ou seja, são equipamentos de menor tecnologia embarcada e custos mais acessíveis, indicadas para construtoras que se dedicam a trabalhos mais rotineiros. A SEM já conta no Brasil com duas linhas de carregadeiras, e desde o ano passado a marca vem sendo trabalhada no mercado local com mais vigor, principalmente em nichos específicos, como o das pequenas intervenções urbanas que não exigem grandes esforços de tecnologia.


    Voltar