São Paulo, 19 de Outubro de 2018

    Notícias

    Energia eólica offshore: Petrobras faz acordo com Equinor


    (07/10/2018) - A Petrobras assinou com a empresa norueguesa Equinor (ex-Statoil) um memorando de entendimentos para o desenvolvimento conjunto de negócios no segmento de energia eólica em alto mar (offshore) no Brasil. O acordo foi formalizado durante o evento “Rio Oil & Gas Conference”, realizado no Rio de Janeiro, no último dia 26 de setembro.

    O memorando não estabelece obrigações para as partes empreenderem quaisquer negócios, mas indica a intenção das empresas em trabalhar conjuntamente para desenvolver projetos no segmento de energia eólica offshore.

    A companhia brasileira já opera quatro parques eólicos no Rio Grande do Norte, com 104 MW de capacidade. Esses parques foram negociados no leilão de energia de reserva de 2009 e entraram em operação em 2011. Também construiu uma planta piloto, com cata-ventos com capacidade de geração de 6 a 10 MW, que serão instalados em Guamaré, no mesmo estado.

    “A realização de estudos conjuntos com a Equinor faz parte da nossa estratégia de desenvolver negócios de alto valor em energia renovável, em parceria com grandes players globais, visando à transição para uma matriz de baixo carbono”, explicou o diretor de Estratégia, Organização E Sistema de Gestão da Petrobras, Nelson Silva.

    De acordo com Silva, a escolha da Equinor como parceira deveu-se à expertise da empresa na área de parques eólicos offshore em águas profundas e em projetos de captura e armazenamento de carbono em geral. A empresa opera três parques eólicos ao longo da costa do Reino Unido e está envolvida no desenvolvimento de outros projetos eólicos offshore naquele país e na Alemanha e Estados Unidos.

    A Equinor não será a primeira parceira da Petrobras na área de energia renováveis. No último mês de julho, a companhia fechou com a Total e a Total Eren, ambas francesas, outro memorando de entendimentos com o objetivo de analisar o desenvolvimento conjunto de negócios nos segmentos de energia solar e energia eólica onshore (em terra) no Brasil.

    A Petrobras já tem inclusive, no Rio Grande do Norte, uma planta de pesquisa e desenvolvimento em energia solar fotovoltaica de 1,1 MW, onde estão sendo avaliadas as operações de quatro tipos de tecnologia.


    Voltar