São Paulo, 15 de Dezembro de 2018

  • Notícias

    Brasil sai da recessão mais profunda de sua história

    (17/12/2017) - Enfim, a economia brasileira está saindo da recessão mais profunda de sua história. É o que diz a CNI - Confederação Nacional da Indústria na edição especial do Informe conjuntural - Economia Brasileira, apresentado na semana passada.

    Segundo a entidade, os dados recentes do PIB mostram, com clareza, a recuperação da demanda doméstica, em especial do consumo das famílias, que cresce há três trimestres consecutivos. Além disso, no terceiro trimestre de 2017, até o investimento - Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) - voltou a crescer, após longo período de queda contínua.

    A CNI prevê que o PIB fechará o exercício de 2017 com crescimento de 1,1%. Já o PIB Industrial, após três anos, também voltará ao campo positivo, com crescimento de 0,2%: a indústria de transformação crescerá 1,7%; porém, o setor de construção registrará queda de 5,0%.

    ALTA DO PIB EM 2018 - Para a entidade, no curto prazo, a economia continuará a mostrar crescimento moderado, com melhora gradual do emprego, aumento da renda real, inflação baixa e juros em patamar reduzido. Na avaliação da CNI, o mercado interno seguirá gerando a demanda de consumo necessária para produzir um crescimento do PIB na ordem de 2,6%, em 2018. “Crescer mais, e para além de 2018, exigirá esforço adicional na agenda da modernização e competitividade”, destaca a CNI.

    “A continuidade desse crescimento observado, para continuar em 2018, depende da retomada do investimento”, disse o gerente executivo de Política Econômica da CNI, Flávio Castelo Branco, que defende que esse investimento deve vir principalmente do setor privado. “O setor público não tem capacidade para arcar com aumento significativo e necessário para alavancar esse investimento”.


    Voltar