São Paulo, 14 de Dezembro de 2017

    Notícias

    Máquinas e equipamentos segue trajetória de queda


    (03/12/2017) - Enquanto boa parte dos segmentos industriais registram números positivos em 2017 (veja matéria nesta edição), a indústria de máquinas e equipamentos permanece com números negativos na comparação com o ano anterior. O balanço de outubro, divulgado pela Abimaq na última quarta-feira, mostra que as vendas realizadas indústria de Bens de Capital Mecânicos ficaram 0,4% abaixo do mês anterior e 3,1% inferior ao acumulado no período janeiro-outubro, na comparação com o mesmo período do ano passado.

    E o resultado só não foi ainda mais negativo graças ao desempenho das exportações que cresceram 10,4% em outubro em relação a setembro e 13,1% no acumulado do ano. Conforme destacou a Abimaq, as vendas no mercado interno apresentaram redução da ordem de 10%.

    O consumo aparente de máquinas e equipamentos também registra queda, de 5,2% em outubro em relação ao mês anterior, e de 20,4% na comparação com os 10 meses de 2016. Para a Abimaq, “essa queda de 20,4% no ano, pelo 4º ano consecutivo, desmente notícias recentes de retomada dos investimentos”.

    Também houve queda nas importações em outubro, em relação ao mês imediatamente anterior (-2,8%). O resultado acumulado (jan-out), continua apresentando forte redução (-19,9%), embora venha apresentando redução das quedas mensais. O modesto aumento das importações nos últimos 4 meses está concentrado em poucos setores.

    Já as exportações cresceram 10,4% em relação a setembro e 49,5% em relação a outubro de 2016. No acumulado do ano (jan/out), a alta é de 13,1% sobre o mesmo período de 2016. Para a Abimaq, “uma das razões que explica o crescimento das exportações em 2017 é a melhora da atividade econômica nos mercados internacionais. Muitas empresas tem mantido parte de suas atividades produtivas nas exportações, ainda que com, eventualmente, rentabilidade reduzida em função do câmbio apreciado”.

    O crescimento das exportações ocorreu na maioria dos segmentos representados pela entidade. No ano, as exportações foram puxadas pelos setores fabricantes de Máquinas para Agricultura, Máquinas para Petróleo e Energia Renovável, Máquinas para Logística e Construção Civil e Máquinas para a Indústria de Transformação.


    Voltar