São Paulo, 19 de Novembro de 2017

    Notícias

    Início da retomada do setor de máquinas fica para 2018


    (29/10/2017) - Alguns setores industriais, a exemplo do automotivo, têm registrado altas em seus volumes de faturamento e de produção. O PIB e o PIB Industrial têm previsão de alta para este ano. O setor de máquinas e equipamentos, porém, segue acumulando queda, como aconteceu em setembro, de acordo com o balanço do setor, divulgado pela Abimaq na semana passada: -4,3% em relação a agosto de 2017; 5,7% menos que setembro de 2016 e baixa de 4,5% no acumulado dos 9 meses de 2017 contra igual período do ano anterior.

    O motivo é conhecido. Como os representantes do setor costumam explicar: o setor de máquinas é o primeiro a entrar na crise e o último a sair, pois depende de novos investimentos e, em geral, quem está saindo da crise está com capacidade ociosa. “O ambiente está mais favorável e acreditamos que o movimento de alta deve se espraiar para os demais setores. Já sentimos aqui uma melhor procura por cotações, porém o setor deve fechar 2017 com queda de 2% ou 3%. A recuperação deve vir apenas no início do próximo ano ou ao longo de 2018”, explicou Mário Bernardini, diretor de Competitividade da Abimaq.

    O balanço de setembro apurou aumento no consumo aparente de máquinas e equipamentos de 1% (graças a um aumento de 7% nas importações) em relação a agosto, porém na comparação com setembro de 2016 a queda é de 6,3%. No confronto dos números do acumulado de 2017 com igual período de 2016, os números da baixa são bastante significativos: -21,8%. “A queda acumulada vem se reduzindo gradativamente desde junho de 2017, mas o último resultado indica mais um ano de queda nos investimentos produtivos do País, o quarto consecutivo”, segundo a Abimaq.


    Voltar