São Paulo, 23 de Fevereiro de 2020

  • Empresas

    Makino supera expectativas na Feimafe 2017


    (02/07/2017) - “Tivemos uma boa visitação, em volume e qualidade”, afirma Carlos Eduardo Ibrahim, diretor da Makino do Brasil, sobre a participação da empresa na Feimafe 2017, realizada em São Paulo de 20 a 24 de junho. A empresa registrou número significativo de visitantes qualificados, que realmente estavam em busca de tecnologia para melhorias do chão de fábrica. “Não apenas diretores, que batem o martelo para a realização de negócios, mas também pessoas do operacional das fábricas, que lidam, no dia a dia, com a produção e utilização das máquinas”, destaca.

    Ibrahim informa que a maior procura dos visitantes foi por projetos de Die & Mold (moldes e matrizes), com boas possibilidades de negócios futuros. “Durante a feira apareceram boas oportunidades de negócios que serão trabalhadas no pós-feira. O mercado está inseguro e o investimento é alto, mas estamos otimistas”, diz.

    Para ele, o evento superou a expectativa pré-feira, apesar do cenário político e econômico atual desfavorável. “Não fosse a turbulência atual, os resultados seriam melhores”, comenta.

    O diretor lembra que em outubro do ano passado começaram a surgir alguns sinais que indicavam uma possível recuperação do mercado. E vinham numa sequência: a onda de aumento dos negócios teve início na área de máquinas para plásticos, chegando depois à área de estamparia. Com o aumento das atividades nesses dois segmentos, em breve a necessidade de novos moldes chegaria ao setor de usinagem. “Até que em maio, com a delação da JBS, veio a nova bordoada e o mercado voltou a ficar com o pé atrás”, observa.

    Máquinas - Um dos destaques da Makino na Feimafe 2017 foi ao centro de usinagem a40. De acordo com a empresa, trata-se do primeiro e único centro de usinagem horizontal construído para usinar peças de materiais não-ferrosos, ideal para a produção de peças de alumínio injetado. Conta com pallet de 400 mm, com capacidade de peça de 630 mm de diâmetro e 900 mm de altura,  ideal para usinar peças de fundidos moldados comumente usadas nas indústrias automotiva e de produtos de consumo.

    Na linha de máquinas de eletroerosão foram dois destaques: a EDAF2 RAM, de eletroerosão por penetração, que traz como grande novidade o sistema de programação on-board da Makino, e a U3, de eletroerosão a fio, voltada à fabricação de moldes de plásticos, estamparia de matrizes e de peças de alta precisão.


    Voltar