São Paulo, 26 de Junho de 2017

    Artigos Técnicos

    Torneamento automático eficiente de peças de baixo custo


    (*) Alfredo Ferrari

    (11/09/2016) - Peças cilíndricas de pequena e média complexidade e de baixo custo tem sido, até então, produzidas a partir de barras, de forma seriada, através de tornos revólver e tornos automáticos monofuso ou multifuso acionados através de cames. Estes últimos são aplicados principalmente nas produções de grandes séries, que não exigem frequentes paradas da máquina para troca de ferramental, para se produzir diferentes tipos de peças, ou seja, quando não há flexibilidade no trabalho.

    Por outro lado, as indústrias de manufatura vêm passando por profundas alterações que exigem a produção, cada vez mais frequente, de lotes menores de fabricação, levando-se a aplicar avançados de planejamento da produção, como o just-in-time e outros. Isto faz com que as máquinas sejam preparadas com maior frequência, aumentando os tempos improdutivos e elevando os custos de produção. Para aumentar a flexibilidade e a rentabilidade no trabalho flexível, são aplicadas as máquinas-ferramenta dotadas de Comandos Numéricos Computadorizados (CNC).

    Os tornos automáticos CNC de cabeçote fixo se classificam, quanto ao tipo da disposição das ferramentas de corte, de duas maneiras: com mesa porta-ferramentas linear ou com torre porta-ferramentas indexável.

    Os tornos automáticos CNC dotados de mesa porta-ferramentas linear, também conhecidos por tornos tipo Gang Tool, são aplicados na produção de peças curtas, que tenham estabilidade de usinagem suficiente para serem trabalhadas em balanço, sem o uso de elementos de guia, como contra-ponta e luneta. Por outro lado, os tornos automáticos universais dotados de torre indexável e contra-ponta são aplicados na usinagem de peças de maior complexidade, tanto para peças curtas, como para peças delgadas.

    O conceito do torno automático dotado de torre porta-ferramentas linear não é novo, sendo que os antecessores são acionados através de cames. Porém, através de uma construção moderna e inovadora, com base na aplicação de elementos mecânicos de máquina, atuais e de alto rendimento, e na tecnologia digital utilizada para o seu controle e funcionamento, determinou uma revolução na produção flexível e econômica de peças torneadas de baixo custo, com geometrias de pequena e média complexidade.

    Uma enorme vantagem deste tipo de torno é proporcionada pelo curto tempo do ciclo de trabalho em relação aos tornos CNC dotados de torre porta-ferramentas indexável, uma vez que a troca das posições das ferramentas é bem mais rápida, chegando a reduções de até aproximadamente 30%, dependendo da quantidade de operações a serem realizadas e da complexidade geométrica da peça a ser produzida. Outra grande vantagem é a possibilidade da aplicação de ferramentas acionadas, que possibilita a usinagem de peças por completo, eliminando-se operações posteriores.

    A aplicação de um magazine para guia, alimentação e troca automática das barras, em geral de três metros de comprimento, torna o equipamento uma célula de produção que permite um trabalho contínuo sem supervisão.

    Este torno permite, também, a usinagem de peças pré-formadas, através de alimentação manual ou automatizada, pela aplicação de magazines ou de robôs articulados, para a carga e descarga da peça de trabalho.

    As principais vantagens proporcionadas pelos tornos automáticos CNC dotados de mesa porta-ferramentas linear, tipo Gang Tool, são:

    - Rápida preparação da máquina.

    - Curtos ciclos de trabalho.

    - Facilidade e rapidez na programação.

    - Aplicação econômica para pequenos e médios lotes.

    - Rapidez na execução de protótipos.

    - Uso de ferramentas de corte standard e de alto rendimento.

    - Aplicação de acionamento de ferramentas de corte.

    - Eliminação de projeto e fabricação de ferramentais especiais, como cames e ferramentas de forma.

    - Usinagem de diversos tipos de materiais, inclusive aqueles de difícil usinabilidade, como aços ligados e inoxidáveis.

    - Conforto operacional.

    - Fácil manutenção.

    Além do mais, este tipo de torno se caracteriza como uma máquina de entrada para muitas empresas que pretendem iniciar com a tecnologia digital do comando numérico.

    A forte concorrência nos mercados, doméstico e de exportação, além da adequação às regras da economia no país, obriga as empresas de manufatura a investirem, cada vez mais, em modernas tecnologias, como a deste torno automático CNC, com o objetivo de aumentar a sua eficiência, qualidade, rentabilidade e participação de mercado.

                                         ________________________________

    (*) Alfredo Ferrari é engenheiro mecânico, vice-presidente da Câmara Setorial de Máquinas-Ferramenta e Sistemas Integrados de Manufatura da Abimaq e vice-coordenador da Expomafe. Este artigo foi escrito a convite da Informa para o site “A Voz da Indústria”. (http://avozdaindustria.com.br).


    Voltar